publicidade
11/08/15

Máquina de reciclagem dá dinheiro a usuário como recompensa

11 / ago
Publicado por Mayra Cavalcanti em INOVAÇÃO às 12:10

A Recicletool chega ao mercado em novembro deste ano (Foto: Divulgação)
A Recicletool chega ao mercado em novembro deste ano (Foto: Divulgação)

Se alguns pensam que a tecnologia não pode trabalhar a favor do meio ambiente, a Recicletool pode provar justamente o contrário. Máquina desenvolvida por pernambucanos para captação de resíduos sólidos, a ferramenta busca ajudar não apenas na reutilização dos materiais recicláveis, mas também às pessoas que vivem disto, como catadores e cooperativas, gerando renda para o usuário.

Desenvolvida pelo administrador Thiago Dantas e pelo engenheiro da computação Severino Barros, a ferramenta é dotada de uma tela LCD, computador conectado à internet, leitor ótico, cilindros de rolagem, sensores de movimento, caixa de armazenamento dos resíduos e um programa para identificação dos materiais.

A Recicletool é de fácil utilização. Basta que o usuário se cadastre, através do número do seu celular, na própria máquina. Em seguida, ele deve depositar os resíduos sólidos, como garrafas PET ou latinhas de refrigerante. A máquina automaticamente vai somando o valor gerado pelo usuário.

Para receber o dinheiro, a pessoa precisará completar o cadastro previamente feito por meio de um aplicativo para celular, disponível inicialmente apenas para Android. Desta forma, os valores a partir dos R$ 10 são depositados na conta corrente do usuário. A previsão é de que o app Recicletool chegue ao iOS em fevereiro de 2016.

O engenheiro da computação  Severino Barro e o administrador Thiago Dantas começaram a desenvolver o projeto em 2010 (Foto: Divulgação)
O engenheiro da computação Severino Barro e o administrador Thiago Dantas começaram a desenvolver o projeto em 2010 (Foto: Divulgação)

Thiago Dantas explica que a Recicletool tem capacidade de armazenar até 4 m³ de resíduos sólidos. Ao atingir 80% deste espaço, uma mensagem é enviada para a cooperativa ou o catador responsável e ele pode recolher o lixo de dentro da máquina, já separado. Após a venda daquele material no mercado de reciclagem, 50% do lucro fica com o catador e a outra metade é destinada à remuneração dos usuários.

De acordo com Thiago, a ideia de construí-la surgiu em 2010, quando foi instituída a Política Nacional de Resíduos Sólidos. “Foi a maneira que encontramos de ajudar às empresas a cumprirem a lei, ainda gerando receita por aquela reciclagem. Além disso, é um trabalho de valorização do lixo, que é uma riqueza, mas muitas vezes não é visto assim pela sociedade”, afirma.

A Recicletool foi projetada para ser implantada em locais de grande circulação de pessoas, como shoppings e supermercados, mas também podem ser colocadas em prédios, por exemplo. Nos casos dos lugares públicos, é possível que as máquinas sejam alugadas. Já para uso nos prédios, é preciso fazer o investimento para aquisição de R$ 7 mil.

“A reciclagem é muito mais um questão social do que educacional no Brasil. As pessoas catam lixo para sobreviver. Por isto esta prática tem que ser estimulada”, diz Thiago. Ele destaca também a ajuda aos próprios catadores, pois o lixo já vem separado, evitando que eles tenha que procurá-lo. Além disto, o equipamento também é capaz de armazenar os dados de reciclagem, permitindo que seja traçado um perfil das pessoas que participem.

Um protótipo da Recicletool já funciona no Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep), onde a empresa é incubada. A máquina chega ao mercado em novembro deste ano. É possível entrar em contato com os criadores da Recicletool por meio dos telefones 99920.2008 (Thiago Dantas) ou do 3204.2308.


FECHAR