14
out

A beleza da Coroa do Avião em Igarassu

14 / out
Publicado por Leonardo Vasconcelos às 7:45

Coroa do Avião
Imagem: Herick Marques

 

Além de um passado rico, um presente encantador que merece ser desfrutado. Igarassu não é famosa apenas por ter sido um dos primeiros núcleos da colonização no Brasil e contar com um importante sítio histórico, mas também por apresentar inúmeras opções de lazer ligadas à natureza e esportes. São vários roteiros para ser feitos a pé, de bicicleta e caiaque misturando aventura e história. O #blogmochileo foi até a cidade fazer as trilhas e conhecer de perto as belezas escondidas e outras bem visíveis e conhecidas como a ilhota da Coroa do Avião.

 

Leia mais: 

Passeio de bicicleta pela história de Igarassu

Desbravar os rios de Igarassu a bordo de um caiaque

Uma aula em forma de trilha no Refúgio Ecológico Charles Darwin

Os deslumbrantes poços da Chapada Diamantina: Poço Encantado e Azul

Encarando a Estrada da Morte

 

 

Ela começou a se formar na década de 1970 a partir dos sedimentos vindos do Canal de Santa Cruz, já que está localizada na desembocadura dele. Atualmente ela conta com cerca de dois hectares de área não inundável. Na maré baixa é possível ir caminhando até a ilhota a partir da praia de Mangue Seco, que fica distante menos de um quilômetro. Nos horários de maré alta o acesso é feito com lanchas que partem não só de Igarassu, mas também de Maria Farinha e, principalmente, da Ilha de Itamaracá, de onde vem grande parte dos turistas.

 

 

 

A origem do nome é explicada pela história da ilha. “Quando Duarte Coelho passou por aqui em 1535 e nas cartas náuticas ele fez referência à croa dos passarinhos. Croa quer dizer banco de areia. Na década de 1940 um monomotor da Força Aérea Brasileira fez um pouso forçado na ponta da ilha. Daí a população começou a chamar o local não de croa, mas sim de Coroa do Avião por causa da queda da aeronave”, explicou a diretora executiva de turismo da cidade Ana Alves.

 

 

O visual paradisíaco da ilhota atrai visitantes de todo o Brasil e até do exterior. Na alta estação, de acordo com a prefeitura, cerca de duas mil pessoas chegam a passar pelo local por fim de semana. A combinação da tranquilidade com areia branca e águas calmas e claras realmente é bem convidativa. “Mesmo morando pertinho, em Abreu e Lima, eu nunca tinha vindo aqui e me impressionei com a beleza do lugar. Eu só ia até a praia de Itamaracá, mas hoje resolvi fazer a travessia até aqui e não me arrependi”, disse o motorista Alexandre Luís da Silva.

 

 

Além de admirar uma bela paisagem, na ilha também é possível apreciar aves diferentes dependendo da época. Desde 1994, ela abriga uma estação de estudos sobre aves migratórias que já identificou mais de vinte espécies de gaivotas e maçaricos.

 

REDES SOCIAIS:

 

 

*Acompanhe o @blogmochileo também pelo Instagram, Twitter, Facebook e Youtube.


Veja também