publicidade
12/05/21

Proporção de famílias endividadas permanece em elevada em abril

12 / maio
Publicado por jamildo em Notícias às 15:00

Em abril, o percentual de famílias endividadas em Pernambuco – que possuem contas ou dívidas contraídas com cheques pré-datados, cartões de crédito, carnês de lojas, empréstimo pessoal, compra de imóvel e prestações de carro e de seguros – manteve-se em 79,2%, mesmo valor observado no último mês de março. Desde janeiro, após o fim das transferências do Auxílio Emergencial, a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) vem registrando níveis de endividamento preocupantes, ficando próximo de alcançar 4 em cada 5 das famílias pernambucanas.

Já o percentual de famílias inadimplentes, com contas ou dívidas em atraso, voltou a subir e ficou em 29,1%, após uma pequena queda em março (28,8% contra 29,8% em fevereiro). A proporção de famílias que declaram não ter condições de pagar as contas e dívidas em atraso, por sua vez, ficou em 12,0% em abril, com leve alta em relação a março (11,6%).

Esses patamares, em especial o de famílias endividadas, situam-se bem acima do registrado no nível nacional, onde: a proporção de famílias com dívidas ficou em 67,5% (maior da série histórica e já observada em agosto de 2020); a inadimplência, em queda há oito meses, ficou em 24,2%; as que não terão condições de pagamento representam 10,4%.

Sobre o perfil do endividamento, ressalta-se que entre as famílias endividadas 47,7% têm dívidas que perdurarão por até 6 meses e 46,6% delas têm dívidas que deverão comprometer a renda por no mínimo um semestre. Dessa forma, estima-se que o tempo médio de comprometimento da renda com as dívidas na família seja de 7,3 meses, ou seja, um prazo que se estende durante o restante do ano de 2021. Também se destaca que 56,4% das famílias endividadas têm entre 11% e 50% da sua renda comprometida com dívidas.

Entre os principais tipos de dívidas, atenção especial volta-se para o cartão de crédito, cuja proporção de famílias declarantes desta modalidade foi de 96,1%, contra 94,9% em abril. A participação do cheque especial entre as famílias endividadas também evolui em abril em relação a março, saindo de 11,2% para 14,4%. Outro tipo de dívida destacada pelos endividados foram os carnês, que estão presentes entre 22,8% das famílias em abril, face aos 20,2% registrados em março.

Pernambuco: Tipo de dívidas declaradas (% das famílias endividadas) – Março/2021 e Abril/2021

Cabe advertir que esses resultados não refletem uma possível, ainda que pequena, retração no nível de endividamento no mês de abril, uma vez que a coleta de informações da PEIC ocorre nos últimos dez dias do mês anterior ao da sua divulgação. Ou seja, os dados refletem uma posição do endividamento familiar no final de março, não contemplando o aporte financeiro da nova rodada do Auxílio Emergencial, iniciada em 6 de abril.

Nesses primeiros meses de 2021, além do atraso para a retomada do Auxílio Emergencial, a retração nos rendimentos do trabalho e a pressão inflacionária minam o poder de compra das famílias pernambucanas, que se vêm obrigadas a postergar dívidas com prestações e empréstimos para continuar consumindo itens essenciais.

Para os próximos meses, a julgar pelo quadro de deterioração do mercado de trabalho, com persistente alta da taxa de desocupação, além de recursos emergenciais mais escassos tanto para famílias de baixa renda e desempregados quanto para os micro e pequenos empreendedores, o nível de endividamento deve continuar implicando em menores intenções de consumo e dificuldades no setor terciário.

 


FECHAR