publicidade
12/04/21

Senador diz já ter assinaturas para incluir estados e municípios em CPI da pandemia

12 / abr
Publicado por jamildo em Notícias às 16:40

Na manhã desta segunda-feira, 12, o senador Ciro Nogueira (PP-PI), um dos principais aliados do presidente Bolsonaro no Congresso, disse que assinou o requerimento de abertura da CPI da Covid feito pelo senador Eduardo Girão (Podemos-CE), para incluir a investigação das ações de governadores e prefeitos na gestão da pandemia.

Tal demanda foi apontada pelo presidente na ligação.”Se não mudar o objetivo da CPI, ela vai só vir para cima de mim… CPI ampla e investigar ministros do Supremo. Ponto final”, afirmou Bolsonaro a Kajuru.

O presidente ainda atribuiu o número de mortes por covid-19 à suposta omissão de prefeitos e governadores, ignorando que ele mesmo boicota medidas que dão certo contra o vírus, como o distanciamento social e o uso de máscaras.

“Neste momento grave deveríamos estar totalmente empenhados em garantir socorro aos brasileiros e não desviar desse foco com CPIs. Mas já que a comissão deve ser instaurada, que façamos uma investigação completa”, escreveu Ciro Nogueira no Twitter.

Independentemente de Girão obter as 27 assinaturas necessárias para um novo pedido de CPI mais amplo, o senador Alessandro Vieira (Cidadadia-SE) já protocolou, no sábado, um pedido formal ao presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para incluir no escopo da CPI investigações sobre Estados e municípios, como defende Bolsonaro.

Ao lado de Kajuru, Vieira é autor da ação no STF que deu origem à determinação do ministro Luís Roberto Barroso determinando a instalação da CPI.

Postura mais pacífica

Em pronunciamento na quinta-feira (8) da semana passada, o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) apelou à população que cobre das autoridades uma “postura mais pacífica e de união no enfrentamento da pandemia”.

Segundo ele, alguns têm promovido um clima de “cabo de guerra” para antecipar o debate político-eleitoral que deveria ocorrer somente no próximo ano, quando haverá eleições presidenciais.
Isso, a seu ver, ficaria evidente diante do pedido de criação da CPI da covid com foco de apuração apenas nas ações do Executivo federal.

Para Girão, não é justo investigar apenas o governo federal, quando os estados e municípios receberam bilhões de reais dos cofres da União para enfrentar a pandemia.

— Então, é muito importante, que essa CPI, se quiser fazer uma coisa justa e independente, que seja uma CPI que investigue fatos determinados — e tem aos montes, eu relacionei no meu pedido — com relação a estados, municípios e a União. Aí sim, aí a gente vai ter a verdade. Mas pegar apenas uma faceta, como querem fazer apenas da União, aí o objetivo é enfraquecer o governo, o objetivo é fazer com que a campanha política de 2022 seja antecipada para agora. E isso é uma covardia com o povo brasileiro, isso não é correto — declarou Girão.
Itamaraty

O senador também defendeu o ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que a seu ver teria sido atacado por razões políticas. Para Girão, o ex-chanceler sofreu “uma pressão absurda, uma humilhação pública e um espancamento moral” na audiência realizada no Senado para discutir o papel do Itamaraty no enfrentamento da pandemia de covid-19. No entendimento do senador, que criticou chanceleres de governos anteriores, Araújo foi atacado por ter uma visão de mundo distinta.

Com Agência Senado


FECHAR