publicidade
12/04/21

67,5% dos brasileiros considera insuficiente a gestão do Governo Federal no combate à pandemia

12 / abr
Publicado por jamildo em Notícias às 14:30

Com muita dificuldade e incertezas, o Brasil completou um ano de pandemia em função do Covid-19.

Para entender a opinião do brasileiro nessa nova fase e levando em consideração dados analisados, a Hibou – empresa de pesquisa e monitoramento de mercado e consumo – acaba de publicar pesquisa que mede o sentimento da população, após um ano do início das medidas de biossegurança, distanciamento social e a gestão política sobre a crise.

Em relação à gestão do governo sobre a pandemia, levando em consideração a atuação em âmbito Federal, Estadual e Municipal, a pior nota foi para o Governo Federal, 7 em cada 10 brasileiros tem certeza de que o Presidente da República não está fazendo tudo o que pode na gestão da crise.

O olhar dos entrevistados sobre o Governo nos Estados e Prefeituras está equilibrado, já que, para ambos, 4 em cada 10 brasileiros tem a mesma opinião de que os políticos não estão fazendo o possível para conter a pandemia.

Após um ano de pandemia, sentimentos considerados ruins são os mais comuns entre os entrevistados.

A pesquisa mostrou que 78,4% da população sente preocupação com toda essa situação, 59,2% está inseguro, 51,8% está cansado, 50,5% sente medo e 38,5% sente exaustão.

Por outro lado, um bom sinal é que ainda há o que ser feito e muitos são otimistas frente ao cenário, já que 48,2% sente esperança e 42,9% sente mais empatia com o próximo.

Fechamento das atividades e comércio

Uma fatia de 64% continua em casa e saindo estritamente para o necessário, 31,4% continua trabalhando normalmente fora de casa, mas tomando os devidos cuidados e 12,4%, segue em casa, mas saindo mais que no início da pandemia. 2,7% não acredita mais na quarentena e parou com o isolamento social e apenas 1% nunca fez.

A pesquisa também abordou a opinião da população sobre o fechamento das atividades e comércio na últimas e próximas semanas.

Atividades como escolas (43,9%), bares (39,2%), academias (49,9%), shoppings (32,3%) e parques e praias (63,7%) deveriam fechar completamente por mais uma semana.

A abertura dos supermercados (48,8%) é a única atividade que, segundo a população, deveria funcionar normalmente.

O brasileiro considera diferente o consumo na mesa entre bares e restaurantes, já que, para alimentação, 41,6% acreditam que é um serviço que deve continuar funcionando, mas apenas por delivery e internet.

Já os serviços gerais (40,8%), como cabelereiro e lavanderia, ao lado de fábricas e indústrias (43,9%), deveriam funcionar em horário reduzido.

Metodologia

Um total de 1.698 brasileiros respondeu a pesquisa de forma digital, entre 29 e 30 de março de 2021, garantindo 95% de significância e 2,38% de margem de erro nos dados revelados. A pesquisa engloba níveis de renda ABCD e todas as faixas etárias. Entre os entrevistados, 57% tem idade entre 36 e 55 anos, 55% são mulheres, 35% mora em residências com dois moradores e 47% segue algum regime de home office.

 

 


FECHAR