publicidade
08/04/21
Foto: Jonas Santos/Divulgação
Foto: Jonas Santos/Divulgação

Miguel Coelho comemora concessão do Aeroporto de Petrolina à iniciativa privada: ‘melhoria na infraestrutura’

08 / abr
Publicado por José Matheus Santos em Notícias às 12:42

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), comemorou o leilão do Aeroporto da cidade, realizado nesta quarta-feira (07).

A Companhia de Participações em Concessões levou o bloco Central, com proposta de R$ 754 milhões, ágio de 9.156%. Nesse bloco, estão os aeroportos de Goiânia (GO), São Luís (MA), Teresina (PI), Palmas (TO) e Petrolina (PE).

“Isso indica que teremos um grande investimento na melhoria da infraestrutura do aeroporto, refletindo no aumento do número de voos, na atração de mais companhias aéreas e no fortalecimento do Turismo e da Economia em nossa região”, afirmou Miguel Coelho, um dos cotados para disputar o Governo de Pernambuco em 2022 pela oposição.

“O projeto de concessão dos aeroportos feito pelo Governo Federal é muito importante para o país, pois como não se trata de uma privatização, mas de uma cessão temporária da administração aeroportuária, os investimentos necessários são feitos e o benefício é permanente para todos”, disse o prefeito de Petrolina.

Miguel Coelho também disse que pretende ter uma reunião com os integrantes da Companhia de Participações em Concessões, que arrematou o Aeroporto de Petrolina e outros do Bloco Central no leilão, para conhecer os planos do grupo para a cidade.

O líder da oposição em Pernambuco, deputado estadual Antonio Coelho (DEM), também elogiou o leilão e destacou a medida de âmbito nacional.

“Um grande dia para Petrolina e para Pernambuco. Mas antes de tudo temos que ver que foi uma coisa boa para o Brasil (R$ 3,3 arrecadados pelo governo federal). Isso demonstra como o Brasil pode avançar mesmo num momento de restrição fiscal. E o setor privado está confiando no Brasil, que é um país muito resiliente e de muito potencial”, disse Antonio Coelho.

Para Petrolina, o deputado prevê efeitos em diversos setores econômicos, inclusive com atração de novos investimentos.

“Quando a gente for mensurar o impacto das vagas de emprego e nos voos dos próximos anos, isso será uma mola propulsora para diversas indústrias e investimentos, deveremos ter mais voos para o Brasil, para mais destinos, atualmente temos ligações com Salvador, Recife e São Paulo, fortalecer a indústria da fruticultura na região. Isso vai estar inserindo a gente mais firmemente, Petrolina poderá até ser um hub”, disse Antonio.

Entenda

A Companhia de Participações em Concessões levou também o bloco Central, com proposta de R$ 754 milhões, ágio de 9.156%. Nesse bloco, estão os aeroportos de Goiânia, São Luís, Teresina, Palmas e Petrolina.

Aeroporto de Petrolina será concedido à iniciativa privada nesta quarta-feira

CNI diz que concessão de 22 aeroportos colaborará com recuperação econômica

A Companhia de Participações em Concessões, do grupo CCR, levou dois dos três blocos e foi responsável pelo maior lance, de R$ 2,1 bilhões, pelo bloco Sul, composto por nove aeroportos na região sul do país, incluindo os de Curitiba e Foz do Iguaçu, no Paraná.

A oferta equivale a um ágio de 1.534,36% e ao dobro da segunda proposta, feita pela espanhola Aena, que ofereceu R$ 1,05 bilhão. O bloco teve ainda um terceiro interessado, Infraestrutura Brasil Holding, que ofereceu R$ 300 milhões.

Além de Curitiba e Foz do Iguaçu, o bloco inclui os aeroportos Navegantes (PR), Londrina (PR), Bacacheri (PR), Joinville (SC), Pelotas (RS), Uruguaiana (RS) e Bagé (RS). O contrato prevê investimentos de R$ 2,85 bilhões.

Movimentação

O aeroporto Senador Nilo Coelho, em Petrolina (PE), foi leiloado e concedido à iniciativa privada nesta quarta-feira (7) pelo Ministério da Infraestrutura, por meio da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Ele integrava o Bloco Central da 6ª rodada de concessões aeroportuárias, que também é formado aeroportos de Goiânia, Palmas, São Luís, Imperatriz e Teresina.

A previsão do Governo Federal era de arrecadar pelo menos R$ 50 milhões em outorgas com este bloco que contempla seis terminais. Foi considerado vencedor o consórcio que oferecesse o maior valor de outorga para todo o bloco.

A previsão total de investimento nesses terminais é de R$ 2,14 bilhões. O prazo de concessão é de 30 anos, período em que devem ser criados 30 mil empregos.

Agropecuária

A importância do Bloco Central se traduz na sua vocação econômica para o turismo de eventos, turismo de negócios e integração regional, além de englobar áreas com expressiva atuação agropecuária e de agronegócios. As outras regiões do bloco são integradas por meio de infraestrutura rodoviária e ferroviária, com elevado potencial para interligar as diversas regiões do país.

Outros dois blocos também vão a leilão no mesmo dia: O Bloco Sul e o Bloco Norte. O primeiro é formado pelos aeroportos de Curitiba (PR); Foz do Iguaçu (PR); Londrina (PR); Bacacheri, também em Curitiba (PR); Navegantes (SC), Joinville (SC); Pelotas (RS); Uruguaiana (RS); e Bagé (RS). Já o Bloco Norte contemplará os aeroportos de Manaus (AM); Tabatinga (AM); Tefé (AM); Porto Velho (RO); Rio Branco (AC), Cruzeiro do Sul (AC); e Boa Vista (RR).

O investimento total nos três blocos, já considerando os R$ 2,14 bi no Bloco Central, supera os R$ 6 bilhões, sendo R$ 1,8 bi no Bloco Central, e R$ 2,8 bi no Bloco Sul. Em um único dia, o Governo Federal vai repassar a mesma quantidade de terminais aeroportuários do que o total atualmente concedido (22).


FECHAR