publicidade
06/04/21

Butantan diz a João Campos que a previsão de 10 milhões de doses da CoronaVac até o fim do mês depende de matéria prima da China

06 / abr
Publicado por jamildo em Notícias às 14:14

O prefeito João Campos participou de reunião virtual entre o Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras (Conectar), e o presidente do Instituto Butantan Dimas Covas para tratar do fornecimento da CoronaVac.

No encontro, o prefeito questionou sobre a entrega das 10 milhões de doses previstas para o mês de abril.

“Gostaria de saber se o Butantan irá conseguir entregar as 10 milhões de doses para integralizar o primeiro contrato, tendo em vista que apenas metade da matéria-prima estava no Butantan e a outra metade chegaria esta semana da China. Poderemos contar com essa remessa neste mês para integralizar o contrato de 46 milhões de doses?”, disse João Campos, destacando a importância dos esforços realizados pelo instituto para a imunização da população brasileira. 80% das vacinas usadas no Brasil são coronavac.

Dimas Covas confirmou que a previsão de fornecimento de vacinas está mantida, mas que depende da chegada de nova remessa de matéria prima da China.

“O Butantan tem 4,5 milhões de vacinas prontas e já está entregando. Entregou hoje 1 milhão e entregará o restante dos 4,5 milhões até o dia 20 de abril. Vamos integralizar o contrato, mas precisamos da chegada de matéria-prima da China. Estamos aguardando isso para o dia 8”, informou o presidente do Instituto Butantan.

Segundo Covas, a entidade foi informada sobre o atraso no fornecimento dos insumos para a fabricação da vacina pela parceira chinesa.

“Amanhã terei nova previsão da chegada dessa segunda parcela de matéria-prima, que irá integralizar os 10 milhões de doses em abril. Vamos entregar 10 milhões de doses, sim, em abril, mas existe essa dependência da matéria-prima que está para chegar da China”, disse o presidente.

Compras conjuntas

O consórcio foi criado em 22 de março e é formado por mais de 2 mil municípios brasileiros, que, juntos, correspondem a mais de 150 milhões de brasileiros. A união de esforços entre os municípios só foi possível após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), em 23 de fevereiro, autorizando Estados e municípios a adquirirem os imunizantes em caso de descumprimento do Programa Nacional de Imunizações (PNI) pelo Governo Federal e de insuficiência de doses para vacinar a população.

No último dia 30, João Campos tomou posse como vice-presidente de relações institucionais do consórcio. Na função, o prefeito do Recife será o responsável pela articulação do Consórcio com outras instituições e entidades públicas e privadas.


FECHAR