publicidade
22/02/21
Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem

Paulo Câmara retira comando das PPPs da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e gera rumor de que pasta será entregue a partido aliado

22 / fev
Publicado por jamildo em Notícias às 14:30

O governador Paulo Câmara (PSB) enviou projeto de lei para a Assembleia Legislativa, retirando da alçada da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação o comando do Programa de Parcerias Estratégicas de Pernambuco de Parcerias Público-Privadas (PPPs).

O programa de PPPs irá para a alçada da Secretaria de Planejamento e Gestão.

A mudança abriu, nos bastidores da política, especulações de que a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação será entregue, em breve, para um dos partidos aliados da Frente Popular.

As PPPs são atividades estratégicas do Governo do Estado desde a gestão de Eduardo Campos e a supervisão do Programa sempre esteve a cargo de um técnico de confiança do PSB.

Atualmente, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação está sob o comando de Marcelo Bruno, técnico que já ocupou várias funções estratégicas nas gestões do PSB.

É servidor concursado do Ministério da Economia, já tendo atuado como diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), diretor de Logística no Ministério e vice-Presidente de Suape.

Também foi secretário-executivo das Secretarias das Cidades e de Planejamento e Gestão no Governo de Pernambuco.

Várias legendas pedem novos espaços no Governo do Estado.

Até agora, apenas o partido Progressistas (PP) recebeu a Secretaria de Desenvolvimento Agrário, de “porteira fechada”, com a posse do novo secretário, deputado estadual Claudiano Martins (PP).

A saída das PPPs da secretaria poderia indicar que a pasta será entregue, em breve, a um dos partidos aliados, apontam informações de bastidores, sob reserva de fonte.

O partido mais citado é o MDB, dizem essas mesmas fontes.

O projeto de lei 1819/2021 já está tramitando na Assembleia. O governador já pediu ao presidente da Casa, Eriberto Medeiros (PP), urgência na tramitação do projeto.


FECHAR