publicidade
20/11/20
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem

Presidente do Sindicato dos Rodoviários diz ter recebido ameaças de morte por conta da greve dos ônibus

20 / nov
Publicado por jamildo em Notícias às 15:30

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Aldo Lima, disse estar recebendo ameaças de morte e sofreu uma tentativa de intimidação em frente à sede da entidade.

O sindicalista atribui a situação a retaliação ao movimento grevista.

Reunidos em assembleia no último dia 17, os rodoviários do Recife e Região Metropolitana aprovaram paralisar as atividades a partir do dia 24 de novembro.

“O ataque nas redes sociais foi articulado através de pelo menos três perfis criados nos últimos dias, todos provavelmente falsos. Dois homens e uma mulher deixaram mensagens na página de Aldo no Facebook: “cuidado, se ônibus parar vai levar bala”, explicou.

De acordo com o sindicato, além das ameaças virtuais, nesta quinta-feira (19), próximo à sede do Sindicato dos Rodoviários, o carro em que Aldo estava foi trancado por um Gol cinza e o condutor agiu de maneira ameaçadora.

À tarde, Aldo Lima se dirigiu para a Delegacia de Polícia da 02ª Circunscrição, na Boa Vista, onde registrou dois boletins de Ocorrência.

“Estou denunciando essas ameaças às autoridades para que os autores possam ser responsabilizados, mas espero que quem articulou esses ataques não ache que conseguiu me intimidar. Nós vamos fazer a maior greve que essa cidade já viu e ninguém vai conseguir me tirar do lado dos trabalhadores”, disse Aldo.

Em resposta ao Grande Recife Consórcio de Transporte, que afirmou que vai notificar o Sindicato dos Rodoviários para impedir o movimento grevista, Aldo Lima rebateu.

“O Grande Recife pode evitar, mas não impedir a greve”.

Ele alega que todos os requisitos legais estão sendo cumpridos para a efetivação desse direito constitucional.

“Se quiser, o Grande Recife, que é gerido pelo Governo do Estado, pode evitar a greve impedindo que as demissões na categoria continuem, dando estabilidade no emprego por 01 ano e cancelando todas as liberações concedidas para que os ônibus circulem sem os cobradores”.


FECHAR