publicidade
14/09/20
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Lupi atropela Túlio Gadêlha e indica Isabella de Roldão para a vice de João Campos no Recife

14 / set
Publicado por José Matheus Santos em Notícias às 8:27

A ex-vereadora Isabella de Roldão (PDT) será a candidata a vice na chapa encabeçada por João Campos (PSB) na disputa pela Prefeitura do Recife. A indicação partiu da direção nacional do PDT, comandada por Carlos Lupi.

Isabella de Roldão foi vereadora do Recife entre 2013 e 2016, quando não se reelegeu. Em fevereiro de 2019, assumiu a secretaria de Habitação na gestão do prefeito Geraldo Julio. Ela saiu da pasta em maio deste ano em razão do prazo de desincompatibilização para a disputa das eleições municipais.

LEIA TAMBÉM:
> Vice de João Campos já chamou Geraldo Julio de ‘ditador’ e acusou Paulo Câmara de ‘perseguição’
> Daniel Coelho retira pré-candidatura a prefeito do Recife e anuncia apoio a Patrícia Domingos
> Rede anuncia apoio a João Campos na disputa pela Prefeitura do Recife

A indicação do nome de Isabella de Roldão partiu da direção nacional do PDT. O partido é presidido por Carlos Lupi. Os pedetistas, agora, esperam o apoio do PSB para Ciro Gomes, que deverá disputar a Presidência novamente em 2022.

Lupi rejeitou a indicação do enfermeiro Rodrigo Patriota, feita pela direção municipal do PDT e com apoio do deputado federal Túlio Gadêlha. O PSB também vetou o nome do enfermeiro, já que Rodrigo é crítico ao governo Geraldo Julio em postagens nas redes sociais.

Foto: Leo Motta/JC Imagem

“Após um intenso e amplo debate, a Direção Nacional do PDT anuncia, com base nas Resoluções n⁰ 006/2019 e 003/2020, neste domingo (13/09), o apoio do partido à Frente Popular e à candidatura do deputado federal João Campos (PSB)  à Prefeitura do Recife. Uma aliança que foi construída com muito diálogo, envolvendo diferentes agentes políticos e partidários, sempre  priorizando as demandas da população e com um olhar para a construção da cidade que queremos”, afirmou Lupi por meio de nota à imprensa.

“O PDT também tem a satisfação de anunciar a nossa participação na chapa majoritária encabeçada por João Campos, com a indicação da companheira Isabella de Roldão como vice. Isabella foi vereadora do Recife, conhece muito bem a cidade, carrega os valores do PDT e mostrou seu compromisso com o povo recifense ao abrir mão de sua pré-candidatura à prefeita pela unidade no campo progressista”, disse o presidente nacional do PDT.

Isabella era pré-candidata a prefeita do Recife pelo PDT, mas desistiu da postulação ser a vice na chapa de João Campos, o que já era esperado no meio política local. O outro pré-candidato do PDT era o deputado federal Túlio Gadêlha, que desistiu da postulação na última sexta-feira (13), após a direção nacional do partido alertar que o PSB poderia retirar apoio aos pedetistas em outras cidades, caso houvesse lançamento de candidatura no Recife contra João Campos.

VEJA TAMBÉM:
> Após saída de Daniel Coelho do páreo, oposição à direita adota discurso de ‘união no segundo turno’ no Recife
> Túlio Gadêlha diz que não tem ódio ao PT, e Marília Arraes sinaliza apoio: ‘venha caminhar com a gente’

Em seguida, após Lupi ratificar a indicação de Isabella, o pré-candidato do PSB a prefeito do Recife, João Campos, enalteceu a aliança e relembrou o seu pai, o ex-governador Eduardo Campos.

“Eduardo uniu o estado e partiu para unir o Brasil, até ser interrompido por uma fatalidade. Mas deixou ensinamentos e não foram poucos. Montamos uma Frente tida como improvável por muitos, que, agora, volta a contar com o PDT.  Um histórico aliado da Frente Popular, com grandes contribuições à nossa luta pela melhoria contínua da qualidade de vida da população”, disse o deputado federal e pré-candidato a prefeito.

“Todos lembram do papel que o PDT e suas lideranças no estado exerceram no processo eleitoral de 2006, quando Eduardo foi eleito governador de Pernambuco. As nossas linhas políticas, as nossas visões de como o Estado deve servir a população sempre foram muito parecidas. O Brasil e o Recife que pensamos  são muito próximos do que pensa o PDT”, acrescentou.

João Campos/Foto: Reprodução de vídeo

Em relação à Isabella, João Campos classificou a sua companheira de chapa como “determinada e combativa”.

“E muito me honra ter uma mulher com senso crítico, determinada, combativa, com o olhar social e com o espírito público de Isabella de Roldão como companheira de chapa majoritária. Ao seu lado e do nosso amplo conjunto político, vamos percorrer ainda mais o Recife, ouvir a população e construir as soluções necessárias para enfrentarmos os muitos desafios da cidade”, disse João Campos.

A convenção do PSB para oficializar a candidatura de João Campos está marcada para esta terça-feira (15) a partir das 10h, em formato remoto, por causa da pandemia do novo coronavírus.

> Marília Arraes comemora apoio do PTC no Recife

Um olho em 2020, outro em 2022

PSB e PDT são aliados em diversas cidades do Brasil nas eleições municipais. Nas capitais, isso ocorre, por exemplo, em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Fortaleza, Porto Alegre, Goiânia, Rio Branco, Maceió, entre outras.

Em São Paulo, maior colégio eleitoral do país, Márcio França (PSB) é candidato a prefeito com Antônio Neto (PDT) na vice. No Rio de Janeiro, Martha Rocha (PDT) encabeça a chapa que tem o PSB como aliado.

Um outro exemplo de aliança entre os dois partidos é Porto Alegre, onde Juliana Brizola (PDT) disputa o comando da cidade aliada aos peessebistas.

Em Fortaleza, o candidato do PDT a prefeito, José Sarto, tem apoio do PSB. Ele foi indicado pelo grupo do atual prefeito Roberto Cláudio (PDT), aliado do senador Cid Gomes e do ex-ministro Ciro Gomes, que disputou a Presidência da República em 2018 e deverá ser candidato novamente em 2022.

O PDT, de Ciro Gomes, espera apoio do PSB nas eleições presidenciais de 2022.

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Nacionalmente, os partidos já compõem uma frente, junto com PV e Rede Sustentabilidade, como alternativa à esquerda ao PT e em oposição ao presidente Jair Bolsonaro.

PSB e PDT fecharam chapas em capitais importantes, como em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Fortaleza, Porto Alegre, Goiânia, Rio Branco e Maceió e outras dezenas de cidades. É a união de democratas e trabalhistas para um projeto nacional de desenvolvimento do país.

Disputas internas do PDT

O PDT de Pernambuco é dividido em dois grupos: o do deputado federal Wolney Queiroz, presidente estadual da legenda e líder do partido na Câmara dos Deputados, e o do deputado federal Túlio Gadêlha, presidente municipal do PDT no Recife.

Na quebra de braço no Recife, prevaleceu o lado de Wolney Queiroz, que é aliado de Isabella de Roldão, indicada à vice de João Campos por Carlos Lupi.

Wolney Queiroz (Foto: Lucio Bernardo Junior/Câmara dos Deputados)

O grupo de Wolney Queiroz também tem entre os líderes o deputado estadual José Queiroz, ex-prefeito de Caruaru e que poderá ser candidato a prefeito da cidade. A decisão será tomada até esta terça-feira. Mas, caso Queiroz se lance candidato, o apoio do PSB ao PDT em Caruaru é natural, em reciprocidade à aliança que ocorreu no Recife.

A ala do deputado federal Túlio Gadêlha rachou na última sexta-feira, após a votação do diretório municipal do partido, comandado pelo deputado federal.

Era esperada a aprovação do nome da advogada Adriana Rocha para a vice do PSB. O nome dela seria aceito por aliados de João Campos. No entanto, para surpresa de parte dos integrantes do seu próprio grupo no PDT, Túlio Gadêlha reforçou o nome do enfermeiro Rodrigo Patriota, crítico às gestões do PSB, em contraponto a Adriana Rocha.

A indicação do enfermeiro foi vetada pelo PSB, que viu “birra” de Túlio Gadêlha. O PDT, como mostrado nesta reportagem, também vetou o nome de Patriota e bancou Isabella de Roldão.

Parte dos pré-candidatos a vereador do PDT no Recife está irritada com Túlio Gadêlha. Os aliados afirmam que Túlio errou na condução do processo de indicação à vice do PSB no Recife ao bancar o enfermeiro Rodrigo Patriota e alegam que o deputado foi, indiretamente, para o confronto com a direção nacional do PDT.

Os aliados de Túlio ainda afirmam que o deputado colocou em risco os postulantes a vereador do Recife, pois o grupo rachou e não há unidade, além do conflito com o PSB local, que tem um espectro político considerável na cidade.

tulio gadelha
Túlio Gadêlha (Foto: Leo Motta/JC Imagem)


FECHAR