publicidade
24/07/20
Túlio Gadêlha (Foto: Leo Motta/JC Imagem)
Túlio Gadêlha (Foto: Leo Motta/JC Imagem)

Em encontro, Túlio Gadêlha confirma a aliados pré-candidatura a prefeito do Recife

24 / jul
Publicado por José Matheus Santos em Notícias às 19:21

O deputado federal Túlio Gadêlha (PDT) se reuniu nesta sexta-feira (24) com pré-candidatos do partido a vereador do Recife. No encontro, Túlio e aliados decidiram pela candidatura própria do partido a prefeito do Recife nas eleições de novembro. O nome do parlamentar recebeu o crivo dos aliados.

A reunião também contou com participação de pré-candidatos do PDT a prefeito em outras cidades de Pernambuco.

Na próxima quarta-feira (29), Túlio deverá se manifestar publicamente, inclusive nas redes sociais, sobre a pré-candidatura própria na disputa pela Prefeitura do Recife.

LEIA MAIS:
> Ciro Gomes reforça candidatura de Túlio Gadêlha a prefeito do Recife, mas defende diálogo com o PSB
> Túlio Gadelha pede que PDT entregue cargos na PCR e impõe condições para continuar candidato
> Túlio Gadêlha é muito melhor que Marília Arraes, diz Carlos Lupi

Rede Sustentabilidade

O motivo da espera até a quarta-feira é porque há expectativa dos aliados de Gadêlha de conseguir até lá fechar o apoio do partido Rede Sustentabilidade para uma aliança nas eleições do Recife.

Dirigente da Rede ouvido sob reserva pelo blog afirma que está em aberto a tática do partido na disputa do Recife. As chances de apoio a Túlio existem, mas há possibilidade de apoio a João Campos (PSB) e a Marília Arraes (PT), que procuraram os dirigentes do partido em Pernambuco.

Segundo apurou a reportagem, pesa a favor de Túlio a proximidade que o deputado em Brasília tem com o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), um dos mais influentes da Rede no âmbito nacional.

Presidente do PDT no Recife, Túlio Gadêlha quer fechar um nome da Rede para a vice da chapa até a quarta-feira.

Manifesto

A maioria dos pré-candidatos do PDT a vereador assinou um manifesto pró-candidatura de Túlio. Isabella de Roldão, que é pré-candidata a vereadora, não participou do manifesto, que deve ser enviado a Carlos Lupi, presidente nacional do PDT.

Isabella é defensora da aliança com o PSB e recentemente ocupou a Secretaria de Habitação da Prefeitura do Recife, de onde saiu em abril.

Ao mesmo tempo, Isabella também é cotada para a vice de João Campos, caso a direção nacional do PDT vá de encontro ao comando do partido no Recife e opte pela aliança com o PSB.

LEIA TAMBÉM:
» Carlos Lupi diz que não é contra PSB, mas quer alternância de poder no Recife
» ‘Túlio Gadêlha é candidatíssimo no Recife’, diz presidente nacional do PDT
» Túlio Gadêlha inclui emenda de R$ 126 milhões para metrô do Recife no orçamento da União
» Quem é a mulher que Túlio Gadêlha quer ver na cadeira de prefeita de Jaboatão

Conversas

Nesta semana, o pré-candidato do PSB, João Campos, e o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, se reuniram com Carlos Lupi, presidente do PDT Nacional, para conseguir o apoio do PDT.

Anteriormente, a deputada e também pré-candidata a prefeita Marília Arraes (PT) já tinha feito o mesmo movimento. Nem João nem Marília obtiveram até o momento apoio da sigla pedetista.

No âmbito nacional, as articulações do PDT passam pelos olhos de Carlos Lupi e de Ciro Gomes, que deverá ser candidato a presidente em 2022.

Um dirigente nacional do PDT, que acompanha de perto as articulações, afirmou ao blog nesta sexta-feira (24) que “Túlio Gadêlha só não é candidato se não quiser”.

“Se João Campos e Marília querem o PDT na vice, é porque o nosso partido tem que ter candidatura própria”, disse o dirigente, em reserva da fonte.

A maioria absoluta dos pré-candidatos a vereador do PDT é crítica à gestão do PSB no Recife. “Uma aliança com o PSB seria desconfortável para o partido no Recife”, acrescentou o dirigente ouvido pela reportagem.

Mesmo assim, não está descartada a hipótese de Túlio ser retirado da disputa em prol de uma aliança no Recife, sobretudo com o PSB de João Campos, com quem o PDT Nacional tem mais proximidade.

Carlos Lupi (Foto: Leo Motta/JC Imagem)

Ao blog, o presidente do PDT, Carlos Lupi, disse que “partido existe para ter candidato” e também afirmou que a decisão de Túlio ser candidato depende apenas do deputado.

O presidente do PDT em Pernambuco, deputado federal Wolney Queiroz, é defensor da aliança com o PSB. Inclusive, a ala de Wolney do PDT tem cargos no governo de Pernambuco, com Alberes Lopes na chefia da Secretaria do Trabalho do Estado.

Ciro Gomes e Wolney Queiroz. Foto: Reprodução/Instagram

O PDT compõe uma frente junto com PSB, Rede e PV. Nos bastidores, os pedetistas esperam apoio do PSB a Ciro Gomes nas eleições 2022 para a Presidência. Há temor no PDT Nacional de que, lançando Túlio e eventualmente haja derrota de João Campos, as chances de apoio estejam sepultadas.

Ao mesmo tempo, a cúpula do PDT é reticente em relação a uma reciprocidade do PSB na eleição nacional de daqui a dois anos, pois os socialistas têm proximidade com o PT, alvo de duras críticas de Ciro Gomes.

“Numa ameaça eventual para a eleição de Geraldo Julio (potencial candidato) a governador em 2022, o PSB daí de Pernambuco deve pedir ‘socorro’ a Lula e ao PT e dar apoio nacionalmente aos petistas, isolando novamente a gente (do PDT), como fizeram em 2018 com aquela ‘neutralidade’ na disputa presidencial em troca da retirada da candidatura de Marília Arraes a governadora”, disse um dirigente pedetista sob reserva.

Caruaru

O deputado estadual José Queiroz será candidato do PDT a prefeito de Caruaru. Ele tentará voltar a governar a cidade que já comandou por quatro mandatos.

Com Túlio sendo candidato no Recife, a postulação de Queiroz em Caruaru não deverá contar com aval do PSB, que tem o comando da máquina pública no Governo do Estado.


FECHAR