publicidade
22/07/20
Foto: Divulgação / Câmara do Recife
Foto: Divulgação / Câmara do Recife

Vice-líder do governo Geraldo Julio propõe Frente Parlamentar pela Renda Mínima na Câmara do Recife

22 / jul
Publicado por Blog de Jamildo em Notícias às 11:19

Durante sessão da Câmara Municipal do Recife desta terça-feira (21), de forma remota, o vereador e vice-líder do Governo Rinaldo Junior (PSB) protocolou um Projeto de Resolução (PRES) que institui, no âmbito da Câmara Municipal do Recife, a Frente Parlamentar pela Renda Mínima.

De acordo com o Projeto, a Frente Parlamentar pela renda mínima tem, entre outros objetivos, fiscalizar políticas públicas relacionadas desigualdade sociais e a renda mínima no município do Recife, abrangendo aspectos culturais, sociais e educacionais, além de colaborar com entidades representativas para o encaminhamento de propostas, estudos, relatórios e demais documentos pertinentes à renda mínima e aos órgãos competentes.

As reuniões da Frente Parlamentar serão públicas e abertas à participação da sociedade civil, sendo realizadas periodicamente nas datas e nos locais estabelecidos por seus membros.

“Tenho certeza de que essa Frente vai acompanhar e pressionar o Congresso para a permanente ajuda emergencial aos brasileiros que mais precisam, porque recursos existem, falta celeridade nas decisões do presidente, porque quem tem fome, tem pressa, não espera para amanhã. Infelizmente, a fome voltou a crescer no Brasil, segundo os índices recentes. Portanto, precisamos agora lutar para que a ajuda emergencial seja permanente”, disse o vereador Rinaldo Júnior. 

“O Brasil tem a segunda maior concentração de renda do mundo, segundo a ONU. Vivemos no país onde o 1% mais rico concentra 28,3% da renda total. Esse é o tamanho do nosso fosso social, o qual será ainda mais aprofundado pela pandemia. Hoje a fome voltou a aumentar no Brasil. De acordo com a entidade, 37,5 milhões de pessoas viviam uma situação de insegurança alimentar moderada no país no período entre 2014 e 2016. Entre 2017-2019, porém, esse número chegou a 43,1 milhões”, afirmou o vice-líder do governo Geraldo Julio.


FECHAR