publicidade
21/07/20
Jorge Carreiro (Foto: Reprodução)
Jorge Carreiro (Foto: Reprodução)

Jorge Carreiro assume Prefeitura de Paulista nesta terça e critica gestão de Júnior Matuto, afastado do cargo pelo TJPE

21 / jul
Publicado por José Matheus Santos em Notícias às 10:52

Após o afastamento de Júnior Matuto (PSB), determinado pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), o vice-prefeito Jorge Carreiro (PV) toma posse nesta terça-feira (21) no comando da Prefeitura de Paulista.

Carreiro é presidente estadual do PV e está rompido politicamente, desde o início do atual mandato, com Júnior Matuto, afastado nesta terça do cargo, por 180 dias, em operação da Polícia Civil que apura supostas fraudes em licitações no setor de lixo e limpeza urbana.

Em rápida entrevista ao blog, Carreiro fez críticas à condução de Júnior Matuto à frente da Prefeitura de Paulista e apontou o que considera falhas da gestão municipal.

LEIA TAMBÉM:
> Prefeito de Paulista, Júnior Matuto é afastado do cargo em operação que apura suposta fraude em licitação
> Intervenção de Júnior Matuto na coleta de lixo em Paulista vai parar na Justiça
> Após romper com PPP, Júnior Matuto abre licitação de 195 milhões para o lixo de Paulista
> Grupo reclama que Júnior Matuto afastou prestação de serviço ambiental para contratar sem licitação e por preços mais caros

“Politicamente, estamos afastados desde o começo do segundo mandato por divergência na forma de condução. Vamos assumir a Prefeitura e agir de maneira correta. A posse deve ocorre até o início da tarde de hoje (terça-feira, 21)”, disse Jorge Carreiro.

“O rompimento (com Júnior Matuto) ocorreu porque as prioridades não eram as que deveriam ser. Recentemente, tenho discutido com a população porque há um programa que não estava sendo cumprido na saúde e na educação. Além disso, há problemas e questionamentos na transparência da gestão, inclusive com multas por parte do Tribunal de Contas e um conjunto de denúncias de desvio de finalidade”, apontou Carreiro. 

Segundo informações de bastidores apuradas pelo blog, Carreiro deverá disputar a eleição para prefeito nas eleições deste ano. Questionado pelo blog se pretende disputar a eleição municipal de novembro, o novo prefeito descartou. “Nesse momento, é hora de pensar na gestão. Tenho que analisar com frieza os problemas da cidade. Confirmo que não disputarei a eleição”, afirmou. 

VEJA MAIS:
> Empresa responsável pela PPP do lixo de Paulista reage à intervenção
> Prefeitura de Paulista diz que triplicou coleta de lixo após intervenção

O mandato atual na Prefeitura de Paulista vai até 1º de janeiro. Ou seja, caso o afastamento de Júnior Matuto permaneça por 180 dias, Jorge Carreiro ficaria no cargo durante cinco meses e dez dias. Apesar disso, Jorge Carreiro diz que tem prioridades para o período em que ficar no exercício do cargo de prefeito.

“Espero sanear as finanças da cidade e corrigir os desvios para dar transparência à gestão. A primeira medida que a gente tem que fazer é uma organização da equipe para que se possa avaliar o que está acontecendo. A ideia é fazer algo enxuto e procurar imediatamente onde que tem necessidade de dar suprimento às demandas do povo”, disse Jorge Carreiro.

junior matuto paulista psb
FOTO: Diego Nigro / JC Imagem

Afastamento de Júnior Matuto

A Polícia Civil de Pernambuco realiza, na manhã desta terça-feira (21), a Operação Chorume contra suposta fraude em licitação, peculato e associação criminosa. Entre outras ações, policiais cumprem mandado de afastamento do cargo do prefeito de Paulista, Júnior Matuto (PSB), por 180 dias.

Quem assume a Prefeitura é o vice Jorge Carreiro, que também é presidente estadual do PV.

A determinação do afastamento foi do desembargador Alexandre Guedes Alcoforado Assunção.

A Polícia também cumpre 10 mandados de busca e apreensão domiciliar. As diligências são realizadas em Recife, Paulista e Caruaru.

O afastamento de Júnior Matuto e os demais mandados foram expedidos pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco.

Segundo a Polícia Civil, “a investigação foi inaugurada em novembro de 2018, com o objetivo de identificar a participação de empresários e agentes públicos na prática dos supostos crimes”.

Os nomes dos alvos não foram divulgados oficialmente pela Polícia.

A operação é comandada pelo delegado Diego Pinheiro. 45 policiais civis estão envolvidos na operação, entre delegados, agentes e escrivães.

 


FECHAR