publicidade
20/07/20
Presidente da Câmara, Eduardo Marques, do PSB (Foto: Divulgação)
Presidente da Câmara, Eduardo Marques, do PSB (Foto: Divulgação)

Câmara arquiva pedido de abertura de CPI para investigar compras da prefeitura do Recife durante pandemia

20 / jul
Publicado por Larissa Santana de Lira em Notícias às 14:32

*Com informações do JC Online*

O presidente da Câmara Municipal do Recife, Eduardo Marques (PSB), determinou o arquivamento o pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar compras da Prefeitura do Recife no combate à pandemia do novo coronavírus. O pedido não teve o apoio mínimo dos vereadores. 

A investigação seria em sete dispensas de licitação para compra de equipamentos hospitalares, que já são investigadas na Operação Antídoto, deflagrada pela Polícia Federal no último dia 16 de junho.

Autor do requerimento, Jayme Asfora (Cidadania) protestou contra o arquivamento. Ele havia pedido para que a votação da pauta fosse adiada, o que foi negado pelo presidente da Casa. “Com base no artigo 317 que me permite requerer o adiamento da discussão do regimento interno”, disse.

Ele também citou um artigo do Regimento Interno que estabelece um prazo de cinco semanas após a apresentação dos projetos para que ele seja colocado em votação. Na pesquisa de proposições dos projetos no site oficial da Câmara, consta que o requerimento foi apresentado no dia 15 de julho.

Eduardo Marques justificou a negativa ao afirmar que o requerimento foi recebido pela presidência da Casa no dia 1º de julho. “Então hoje nós temos que colocar por força do regimento dessa casa para que façamos nesse momento uma consulta ao plenário, no sentido de que os vereadores que queiram subscrever o requerimento se manifestem positivamente nesse sentido”, afirmou o presidente. 

Sete vereadores declararam apoio ao requerimento: Jayme Asfora, Renato Antunes (PSC), Fred Ferreira (PSC), Ivan  Moraes (PSOL), André Régis (PSDB), Rogério de Lucca (PP), Michelle Collins (PP), esses dois últimos os únicos da bancada de governo. Esse número é inferior ao apoiamento de um terço dos vereadores para instaurar uma CPI, de acordo com o Regimento Interno da Câmara do


FECHAR