publicidade
18/05/20
Foto: Reprodução/Pixabay
Foto: Reprodução/Pixabay

Empresa dos Estados Unidos anuncia que vacina contra coronavírus testada em humanos gera ‘resposta imunológica e é segura’

18 / maio
Publicado por José Matheus Santos em Notícias às 11:51

Com informações da AFP e do “The New York Times”

A primeira vacina contra o coronavírus testada em pessoas apresentou “resultados positivos provisórios” e capazes de estimular uma resposta imunológica contra o vírus, segundo anúncio da empresa Moderna, do setor de biotecnologia, dos Estados Unidos.

A vacina, oferecida em duas doses, aparentemente produziu uma resposta imune em oito pacientes que a receberam em março.

LEIA TAMBÉM:
> Veja quando o dinheiro da segunda parcela do auxílio emergencial vai entrar na sua conta
> Bolsonaro compartilha vídeo com críticas a Paulo Câmara por bloqueios contra carreata no Recife

Esses oito voluntários saudáveis criaram anticorpos que depois foram testados em células humanas em laboratório e conseguiram impedir a replicação do vírus, segundo o estudo.

Os níveis dos chamados anticorpos neutralizantes seriam semelhantes aos encontrados em pacientes que se recuperaram da covid-19 após terem contraído a doença.

A empresa disse que a terceira fase será feita com testes em cerca de 600 pessoas e começará em julho.

A Food and Drug Administration (FDA), o equivalente à Anvisa no Brasil, já deu aval para a nova fase dos testes.

LEIA MAIS: Governo começa a pagar segunda parcela do auxílio emergencial. Veja o calendário de pagamentos

No meio científico, a previsão é de que uma vacina eficaz contra o novo coronavírus seja desenvolvida de um ano a um ano e seis meses. A expectativa mais positiva dá conta de que uma vacina contra a covid-19 esteja apta no fim de 2020 ou nos primeiros meses de 2021.

“Se esses testes se revelarem um sucesso, uma vacina poderá ficar disponível para uso generalizado até o fim deste ano ou no início de 2021”, disse o médico Tal Zaks, diretor da Moderna. Ainda não se sabe quantas doses podem ficar prontas em um primeiro momento, mas Zaks afirmou que “estamos fazendo o possível para chegar logo ao maior número possível de doses”.

Não há tratamento ou vacina comprovada contra o coronavírus no momento.


FECHAR