publicidade
11/05/20
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Recife, Olinda, Camaragibe, Jaboatão e São Lourenço terão quarentena e rodízio de veículos a partir do sábado (16)

11 / maio
Publicado por José Matheus Santos em Notícias às 9:58

Conforme o blog antecipou, o Governo de Pernambuco anunciou nesta segunda-feira (11) o endurecimento do isolamento social, em razão da pandemia do coronavírus. Na manhã desta segunda, o governador Paulo Câmara (PSB) se reuniu com chefes de outros poderes

Após o encontro, o governador Paulo Câmara decretou quarentena e a adoção do rodízio de carros, motos e outros veículos no Recife e em outras quatro cidades da Região Metropolitana: Olinda, Camaragibe, Jaboatão dos Guararapes e São Lourenço da Mata. As medidas entram em vigor a partir do sábado (16) e valem por 15 dias.

LEIA TAMBÉM:
> Governo Paulo Câmara não vê viabilidade em adotar lockdown em Pernambuco. Entenda
> Promotor do MPPE insiste em novo pedido de lockdown com agravo de instrumento na 2ª instância
> Ministério Público Federal entra com ação contra pastor dos ‘feijões milagrosos’
> Pernambuco registra 40 novas mortes e 493 novos casos de coronavírus e endurece isolamento

A gestão estadual também anunciou que irá endurecer a fiscalização em estabelecimentos comerciais nos cinco municípios.

As medidas serão válidas no período de 16 a 31 de maio. O decreto do governador Paulo Câmara também prevê uma atuação integrada para conscientização das comunidades e a realização de campanhas de comunicação.

“Todas as projeções mostram que precisamos aumentar o isolamento social para evitar a disseminação ainda mais acelerada da doença. Por isso, a partir de amanhã, vamos implantar uma série de medidas, como o rodízio de veículos e a fiscalização nos principais corredores viários para restringir a circulação de pessoas nesses cinco municípios citados. Precisamos da determinação de todos nesses duros 20 dias que teremos pela frente”, afirmou o governador Paulo Câmara.

Até esta segunda-feira (11), Pernambuco tinha oficialmente 13.768 casos e 1.087 mortes por coronavírus.

Os serviços essenciais, como supermercados, farmácias e padarias, seguem funcionando normalmente. Para os demais municípios de Pernambuco, permanecem em vigor as medidas previstas nos decretos anteriores.

Como funcionará o rodízio de veículos

A circulação de veículos deverá ficar da seguinte forma. Em dias pares, circularão apenas veículos com final da placa com número par (final 2, 4, 6, 8 ou 0).

Enquanto em dias ímpares, apenas veículos com placas finalizadas em números ímpares (final com 1, 3, 5, 7 e 9) circulariam. 

Condutores que não seguirem as regras serão abordados e orientados a retornarem para casa.

Também haverá a instalação de pontos de controle móveis e intermunicipais. O decreto determina a realização de ações de fiscalização e a apreensão dos veículos sem autorização para transitar.

As exceções serão os profissionais das áreas de Saúde, Segurança, Defesa Civil e de uso oficial. Veículos de serviços essenciais, como distribuidoras de água e gás, energia, Correios, imprensa, alimentos, funerárias, coleta de lixo, obras, guinchos e ambulâncias, táxis, ônibus e motocicletas de entrega também estão liberados.

Serão ativados 34 pontos de fiscalização, sendo 16 no Recife, oito em Olinda e outros oito em Jaboatão. Outros dois pontos serão instalados, sendo um em Camaragibe e outro em São Lourenço da Mata.

VEJA MAIS:
> Jarbas Vasconcelos defende medidas mais radicais no isolamento social em Pernambuco
> ‘Geraldo Julio deve enfrentar colapso do sistema de Saúde no Recife com transparência’, diz Mendonça
> Marília Arraes defende medidas mais rígidas: ‘Já poderiam ter sido tomadas até antes’
> Defensoria Pública de Pernambuco decide voltar a pagar auxílio-alimentação de R$ 1.400 por mês

Medida semelhante passou a valer em São Paulo nesta segunda-feira (11) por determinação do prefeito Bruno Covas (PSDB).

Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem

No Governo de Pernambuco, a preocupação aumentou após os índices de isolamento social caírem nos últimos dias. Segundo o blog apurou, a taxa oscilou nas proximidades de 50% no Recife na semana passada, enquanto a taxa ideal é de 70% para evitar sobrecarga no sistema de saúde e evitar a disseminação do coronavírus.

Obrigatoriedade do uso de máscaras

Entre as medidas de proteção, estão previstas a obrigatoriedade do uso de máscaras pelos moradores e trabalhadores dessas cidades. Pessoas sem o equipamento em vias públicas serão orientadas a retornar para suas casas.

Os estabelecimentos comerciais ou transporte público serão autuados quando for constatada a presença de pessoas sem o uso das máscaras.

Circulação de pessoas

A circulação de pessoas será controlada através da exigência de documento de identificação, justificativa do destino e finalidade essencial para a saída.

Nas comunidades, serão realizadas ações de fiscalização e fechamento de estabelecimentos comerciais, higienização de ruas e distribuição de kits de higiene, entrega de material informativo com reforço ao isolamento social e orientações de saúde.

Nesses locais, serão distribuídas cestas básicas, além de orientações sobre benefícios assistenciais.

Segundo o Governo de Pernambuco, as medidas foram tomadas com base em projeções científicas, cujos dados mostram a necessidade de aumentar o isolamento social para evitar o aumento ainda mais acelerado dos casos de covid-19.

Os números mostram que, apesar de ter alcançado todas as regiões de Pernambuco, 75% dos casos confirmados e 68% dos óbitos estão concentrados em apenas cinco municípios: Recife, Olinda, Jaboatão, São Lourenço da Mata e Camaragibe.

Lockdown

No fim de semana, o Ministério Público de Pernambuco entrou com agravo de instrumento no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) para que o Poder Judiciário determine a instalação de um lockdown (bloqueio total) no Estado.

Na semana passada, a primeira instância judicial negou pedido do MPPE para determinar o isolamento mais severo em Pernambuco.

O governador Paulo Câmara, do PSB, não pediu nem decretou o lockdown (bloqueio total das atividades e circulação de pessoas) em Pernambuco por avaliar que a medida seria inviável e inócua, ao mesmo tempo, especialmente sem a ajuda do governo Bolsonaro.

Avenida Agamenon Magalhães, no Recife, durante o isolamento social. Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem

Os aliados usam o exemplo de Fernando de Noronha para ilustrar. Lá foi realizada uma quarentena, como os brasileiros chamam o lockdown antes da epidemia.

VEJA TAMBÉM: 
> Lazer, hotéis e escritórios são os setores mais afetados pela pandemia
> PGR questiona lei pernambucana de 2002 que permite gastar recursos da educação com aposentados e pensionistas

Como é um arquipélago, o governo do Estado pode ter o controle do acesso das pessoas, seja por mar ou pelo aeroporto. Tem também efetivo policial para acompanhar as medidas e, eventualmente, punir quem as descumprir.

O exemplo de São Luís, que também adotou o lockdown, também é emblemático. Sendo a cidade uma ilha, pode ser fechada, mesmo assim acabou até aqui não tendo adesão popular.

No caso de Pernambuco, o governo do Estado começou avaliando que a medida faria água, a partir da Região Metropolitana, justamente porque não contaria com a participação do governo Federal. Sem o apoio federal, o bloqueio não seria efetivo. Os aliados citam o caso da BR-101, que corta vários municípios, como Abreu e Lima Paulista, até o Cabo. Áreas de escape demais, sem garantia de apoio das forças federais.

LEIA TAMBÉM:

> Terceira etapa da vacinação contra a gripe começa nesta segunda-feira (11)

> Inscrições para o Enem 2020 começam nesta segunda-feira (11). Veja como fazer a sua inscrição


FECHAR