publicidade
07/04/20
Foto: Guga Matos/Acervo JC Imagem
Foto: Guga Matos/Acervo JC Imagem

Coronavírus: Miguel Coelho determina corte de gastos e redireciona R$ 14,6 milhões para a saúde em Petrolina

07 / abr
Publicado por José Matheus Santos em Notícias às 8:33

Após adiar os prazos para pagamentos de impostos como IPTU e ISS, a Prefeitura de Petrolina anunciou, nesta segunda-feira (6), um pacote financeiro para redirecionar R$ 14,6 milhões para a compra de testes do coronavírus, materiais de proteção individual, ampliação de leitos e pagamento de profissionais da rede municipal de saúde.

Entre as medidas anunciadas pelo prefeito Miguel Coelho (MDB), estão a suspensão de contratos, mantendo os serviços essenciais.

LEIA TAMBÉM:
-> Pagamento de vale de R$ 600 começa na quinta-feira (9). Veja cronograma do auxílio na crise do coronavírus
-> Ministro do STF decide que acordo por redução de salário só terá validade após aval de sindicato
-> Tsunami digital salvou Mandetta da demissão. Por enquanto
-> Prefeitura do Recife e UFPE selam parceria para realização de testes do novo coronavírus

Outra decisão foi a realocação imediata dos recursos que seriam destinados à organização do São João de Petrolina e dos festejos juninos nos bairros. A verba agora será empregada nas ações de combate ao coronavírus.

“Decidimos adiar por quatro meses o prazo de pagamento do IPTU e ISS por considerar que a população precisará desse dinheiro para custos mais essenciais. Porém, a prefeitura vive basicamente desses impostos e do fundo dos municípios. Tivemos, portanto, que cortar muita coisa, suspender contratos e reduzir custos”, disse o prefeito.

Áreas estratégicas

Miguel Coelho acrescenta que preservou setores estratégicos, como contratos de saúde, social e segurança pública. Ainda há possibilidade de novas medidas de enxugamento da máquina pública, caso a crise aumente.

“É uma força tarefa para honrar nossas obrigações, como a distribuição da merenda nesse período de isolamento, cuidar dos serviços da saúde, do social. Precisamos economizar e isso requer um esforço conjunto”, afirma o gestor.


FECHAR