publicidade
31/03/20

Em meio à crise do coronavírus, Assembleia de Pernambuco vai gastar até R$ 1,4 milhão com ‘ornamentação e ambientação de interiores’

31 / mar
Publicado por jamildo em Notícias às 13:00

O Diário Oficial do Estado divulgou uma licitação da Assembleia de Pernambuco para contratar uma empresa especializada para “ornamentação e ambientação de interiores nos setores administrativos”.

O valor máximo estimado será de R$ 1,4 milhão, mas pode cair com a disputa entre as empresas interessadas. O mesmo valor aparece associado a uma licitação para fornecimento de equipamentos da TV Alepe, que inicia a sua transmissão das sessões virtuais neste terça.

VEJA TAMBÉM: Alepe diz que ornamentação de RS 1,4 milhão foi ‘erro de digitação’ e que gastos serão de ‘apenas’ até 194 mil reais

A disputa, divulgada após a chegada da pandemia no Estado, foi marcada para ocorrer em 7 de abril.

A aquisição está sendo conduzida por Marcela Freitas, pregoeira oficial da Assembleia.

LEIA TAMBÉM:
» No início da março, Assembleia Legislativa adiou por tempo indefinido aluguel de SUVs para uso dos deputados estaduais
» Governadores do Nordeste anunciam comitê científico para enfrentar o coronavírus
» Geraldo Julio vai dar desconto de 10% para quem voltar atrás e decidir pagar em cota única IPTU de 2020
» Fecomércio pressiona Paulo Câmara pela reabertura ‘segura e gradual’ do comércio em Pernambuco
» Desesperados com queda nas receitas, 30% dos empresários locais já deram férias coletivas

As empresas de decoração interessadas devem apresentar a proposta até às 9 horas de 7 de abril. A disputa entre as empresas ocorrerá no próprio dia.

A licitação está sendo feita pela modalidade de pregão.

No Poder Executivo, as coisas tem sido diferentes.

VEJA MAIS:
» Novos testes de coronavírus vão contemplar profissionais de saúde e segurança em Pernambuco
» Por causa do coronavírus, TCE-PE suspende dois concursos públicos no interior de Pernambuco

O secretário da Fazenda do Estado, Décio Padilha, publicou ato nesta terça (31) suspendendo todas as licitações que não tenham relação direta com coronavírus ou que não sejam inadiáveis.

No Executivo, as licitações supérfluas só poderão continuar com autorização expressa de um grupo de secretários, na Câmara de Coordenação Financeira.

Veja a outra licitação abaixo


FECHAR