publicidade
21/03/20
Danilo Luiz/Ipojuca
Danilo Luiz/Ipojuca

Porto de Galinhas e as demais praias do litoral ipojucano serão fechadas neste domingo

21 / mar
Publicado por jamildo em Notícias às 22:58

O Comitê Contra o Coronavírus do Ipojuca resolveu, neste sábado (21), interditar as praias de Porto de Galinhas, Muro Alto, Cupe, Maracaípe, Serrambi e as demais praias do litoral ipojucano a partir deste domingo (22).

O artigo 1º do decreto de nº 667/2020, assinado pela prefeita Célia Sales, decreta “a interdição de todas as praias do litoral, rios e mangues do Município do Ipojuca/PE, estando proibidas, inclusive, as práticas esportivas e recreativas”.

A medida visa coibir aglomerações e, assim, consequentemente, a disseminação do novo Coronavírus no município.

Neste primeiro dia de proibição do comércio na praia, como decretou o Governo do Estado e do Município, muitos turistas não respeitaram as determinações e resistiram em acatar as orientações de que a praia estava aberta “exclusivamente para prática esportiva individual”, como descreve o decreto do estado nº48.834 em 20 de março.

Cerca de 500 pessoas, 90% delas turistas de outros estados, foram retiradas do mar por agentes de controle urbano, salva-vidas e guardas municipais.

“Ipojuca ainda não registrou nenhum caso de Coronavírus e o decreto com as novas medidas são exatamente para proteger a nossa população e os que aqui estão. Todos precisam entender que gente circulando, significa o vírus circulando também”, explicou Wendel França, secretário de Saúde do Ipojuca.

Ipojuca possui a maior orla de Pernambuco, são 33km.

Para garantir a interdição das praias e o cumprimento do isolamento social, necessário para que o Coronavírus não se espalhe, guardas municipais fecharão as alamedas de acesso às praias.

De acordo com o secretário de Defesa Social do Ipojuca, Osvaldo Morais, aqueles que não colaborarem e resistirem em cumprir ao decreto municipal poderão ser encaminhados à delegacia por crime de desobediência.

“Esta decisão de fechamento das praias já foi tomada pelo Rio de Janeiro nas praias de Copacabana e Ipanema; no Maranhão foi fechado os Lençóis Maranhenses; em Santa Catarina, a praia de Florianópolis está fechada, e aqui no estado, a ilha de Fernando de Noronha também. Chegou a vez de Porto de Galinhas e as demais praias de Ipojuca. Ou agimos assim ou o vírus avançará aqui”, explicou Morais.

Entre as decisões do Comitê Contra o Coronavírus do Ipojuca, que é composto por 11 secretarias municipais, além da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes do Ipojuca (AMTTRANS) e a Procuradoria, ficou suspenso a partir deste domingo também, o transporte coletivo municipal de passageiros em todo o território ipojucano.

É exceção à esta regra o transporte mediante fretamento de funcionários e colaboradores relacionados aos estabelecimentos de serviços essenciais, financeiros, de limpeza, vigilância, clínicas e hospitais veterinários, hotéis e pousadas, entre outros.

Neste sábado agentes de trânsito da AMTTRANS realizaram ações de controle de acesso de ônibus de turismo, que também está proibido.

O bloqueio aconteceu na PE-38, no distrito de Nossa Senhora do Ó e na PE-51, via de acesso à praia de Porto de Galinhas.

O transporte complementar de passageiros, será autorizado em caráter excepcional pela AMTTRANS.

Recursos federais para ajudar os comerciantes da praia

A Prefeitura do Ipojuca, em decisão tomada pelo Comitê Contra o Coronavírus, que se reuniu por meio por vídeo conferência, solicitou recursos federais, no valor de um salário mínimo (R$1.045), para 750 ambulantes cadastrados na Secretaria de Meio Ambiente e Controle Urbano.

Eles trabalham nos 33km da Orla ipojucana, e se encontram, por causa da pandemia do Coronavírus, em “extrema vulnerabilidade econômica, sendo questão de sobrevivência o apoio dos órgãos públicos”.

Também foram incluídos na solicitação, 2.617 autônomos que trabalham como jangadeiros, bugueiros, garçons da praia, mangueadores, comerciantes da feira de artesanato, barraqueiros, taxistas, cobradores, todos dependentes do turismo local.

O ofício nº116/2020 partiu da Secretaria de Assistência Social do Ipojuca à Secretaria Especial de Desenvolvimento Social do Governo Federal, em atenção ao secretário Lelo Coimbra.

O texto cita as recentes medidas de enfrentamento à pandemia do Coronovírus e apresenta a realidade do município do Ipojuca, localizado no Litoral Sul de Pernambuco, que tem o turismo como sua principal atividade.

“Cerca de 12 mil famílias identificadas no Cadastro Único do Ministério da Cidadania estão em linha de extrema pobreza”. De acordo com o ofício, esta população sofrerá impactos financeiros diretos com a pandemia e o Governo Municipal não dispõe de recursos para, sozinho, custear auxílios financeiros.


FECHAR