publicidade
11/03/20
Túlio Gadêlha (Foto: Leo Motta/JC Imagem)
Túlio Gadêlha (Foto: Leo Motta/JC Imagem)

Acordo entre PSB e PDT pode afetar candidatura de Túlio Gadêlha?

11 / mar
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 19:38

Incentivador da candidatura do deputado federal Túlio Gadêlha pelo PDT no Recife, o provável nome do partido para as eleições presidenciais de 2022, Ciro Gomes, decidiu fechar com o PSB em São Paulo. O apoio ao socialista Márcio França será formalizado nesta quinta-feira (12), em reunião entre as cúpulas dos dois partidos. Para pedetistas, o acordo pode se costurar em outras capitais, incluindo o Recife.

Na capital pernambucana, o PDT está dividido. De um lado, o grupo de Túlio Gadêlha, que se opõe ao PSB e impôs como condição para se candidatar a saída do seu partido dos governos de Geraldo Julio, no Recife, e de Paulo Câmara, no Estado. Do outro, o do presidente estadual da sigla, o também deputado federal Wolney Queiroz, aliado dos socialistas e defensor da aliança.

“O apoio de Ciro é um passo sólido para uma aliança no Recife”, avaliou um pedetista, em reserva.

Já Túlio Gadêlha minimiza o apoio em São Paulo. “Sobre essa aliança com o PSB, ajudei a fazê-la. Nós trabalhamos na articulação, mas o Recife nunca esteve incluído no acordo”, afirmou ao Jornal do Commercio nesta quarta-feira (11).

A agenda da quinta-feira, em São Paulo, vai reunir os presidentes dos dois partidos – Carlos Lupi, do PDT, e Carlos Siqueira, do PSB – e os vice-presidentes – Ciro Gomes e o governador Paulo Câmara. Além deles, lideranças no Congresso e integrantes das legendas. Será realizada uma coletiva de imprensa e, em seguida, um almoço.

Oficialmente, não haverá discussão sobre o Recife, apenas sobre São Paulo.

“Você acha pouco?”, brincou um integrante do PDT, enfatizando que o acordo será iniciado na maior cidade do País e posteriormente os partidos podem debater os cenários nas outras cidades, entre elas a capital pernambucana.

Em coletiva de imprensa na última segunda-feira (9), Túlio Gadêlha defendeu a candidatura própria do PDT nas capitais, mas colocou como condição para se manter na disputa a saída da base socialista. Hoje, o partido tem a Secretaria de Habitação do Recife, com a ex-vereadora Isabella de Roldão.

Não há indicativo de que ela, que é ligada ao grupo de Wolney Queiroz, deixe a pasta.

O pai de Wolney, o deputado estadual José Queiroz, deve ser candidato a prefeito em Caruaru, no Agreste, e espera o apoio dos socialistas.

Em 2018, apesar de Isabella de Roldão ter disputado como candidata a vice-governadora na chapa de Maurício Rands (Pros), o PDT não chegou a romper com o PSB.

Também na eleição passada, o PSB fechou um acordo com o PT que impôs um revés a Ciro Gomes. Pelo apoio dos petistas em estados como Pernambuco, os socialistas deixaram de fechar a aliança com o PDT nacionalmente.

Em 2020, o PT pode deixar a base socialista no Recife e lançar a candidatura da deputada federal Marília Arraes, rifada pelo acordo de 2018. Já o PSB tem como pré-candidato o deputado federal João Campos, filho do ex-governador Eduardo Campos.


FECHAR