publicidade
19/02/20
Mendonça Filho (Foto: Leo Motta/JC Imagem)
Mendonça Filho (Foto: Leo Motta/JC Imagem)

O descaso marca a gestão do transporte público no Recife e RMR. Por Mendonça Filho

19 / fev
Publicado por jamildo em Notícias às 17:03

Por Mendonça Filho, em artigo enviado ao blog

A mobilidade no Recife e Região Metropolitana é um drama diário para a população. Trânsito sem fim, desorganização, má prestação dos serviços. Nos últimos 20 anos as gestões PSB/PT, na Prefeitura do Recife e no Governo do Estado, tiveram tempo, dinheiro e oportunidade para repensar a mobilidade no Recife e na RMR. Podiam ter colocado a política pública de transporte alinhada com o que se faz nas principais cidades do mundo. O que fizeram? Aumentaram o tempo de deslocamento, de espera pelo transporte público e o custo da tarifa. O que diminuiu? Só o conforto de quem precisa transitar pela cidade.

No Recife, o atraso é generalizado desde a concepção até a implementação das políticas públicas de transporte. O resultado é perda de tempo para todos nós. Como não podia deixar de ser, a desorganização e a má gestão apresentam consequências. Ontem houve um acidente na linha Centro do metrô do Recife. Mais de 60 pessoas ficaram feridas. Por sorte, não houve nenhuma vítima fatal. A mesma linha Centro ficou mais de 14 horas sem operar, afetando quase 240 mil passageiros. Ano passado a CBTU chegou a anunciar que o metrô poderia suspender suas operações no mês de julho por falta de recursos.

A má gestão se reflete na situação financeira do metrô. O sistema não arrecada por conta própria nem 20% do que gasta. Para piorar, os repasses do VEM – que é administrado pelo governo do Estado – são atrasados com frequência. O resultado é que a União tem que contribuir para fechar a conta. Em 2018 foram R$ 310 milhões de reais em subsídios. Uma cidade do porte e importância do Recife não pode ter um sistema de metrô como o atual. Infraestrutura e mobilidade devem ser motores do desenvolvimento. Para as gestões socialistas são freio.

No caso do BRT foram R$ 400 milhões jogados no lixo. Implantado com a promessa de garantir aos usuários de transporte público maior conforto, com veículos espaçosos e climatizados; mais rapidez e segurança e estações modernas e refrigeradas para embarque e desembarque, o sistema BRT virou um pesadelo para os passageiros e um exemplo de má gestão e desperdício com o dinheiro público. O Governo do PSB/PT anunciou que o BRT vai acabar sem ter sido concluído. Está claro que não teve planejamento para uma obra dessa importância.

Outra marca da falta de gestão na Prefeitura do Recife é o projeto de navegabilidade do rio Capibaribe. Desde 2012 vive apenas no papel e mesmo assim já custou ao menos R$ 50 milhões em recursos que foram liberados pela Caixa para a prefeitura. Tudo ainda não passa de uma promessa. Falta gestão, falta visão e falta respeito à população por parte da Prefeitura do Recife e do Governo do Estado. Nossa cidade precisa de uma administração com coragem para enfrentar os problemas da cidade e com capacidade de entregar resultados reais. Falsas promessas são o que há de mais velho na política.


FECHAR