publicidade
27/01/20
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

João Campos prega aliança, mas diz que não será novidade candidatura própria do PT

27 / jan
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 17:43

Provável candidato do PSB à Prefeitura do Recife, o deputado federal João Campos se posicionou em nota, nesta segunda-feira (27), sobre a entrevista em que o ex-presidente Lula defende que o PT lance Marília Arraes para a disputa este ano. “Não será nenhuma novidade se o PT optar por uma candidatura própria a prefeito do Recife”, afirmou, citando as eleições de 2012 e 2016.

Apesar disso, o socialista defendeu a aliança. “Neste momento difícil da política brasileira, em que direitos e conquistas sociais estão sendo ameaçados, nós do PSB achamos importante construir a unidade das forças progressistas, em defesa da democracia e da justiça social. Mas respeitamos o PT, caso decida deixar a Frente Popular e correr em faixa própria”.

LEIA TAMBÉM
» Lula diz que PT deve lançar Marília Arraes para a Prefeitura do Recife
» PT já contrariou Lula ‘várias vezes’, diz Humberto sobre candidatura de Marília
» Candidatura de Marília Arraes ameaça cargos do PT nas gestões do PSB, diz Humberto Costa
» Após Lula acenar para Marília Arraes, presidente do PT no Recife mantém defesa de aliança com PSB
» Para atingir Marília Arraes, Humberto chama Silvio Costa de ‘bolsonarista’ e relembra apoio
» ‘Humberto Costa vai ter que engolir Marília Arraes’, rebate crítica Silvio Costa Filho

Lula afirmou que o PT “não pode abrir mão” da candidatura de Marília Arraes no Recife e que o apoio ao PSB ficaria para o segundo turno, caso o partido não avance. “Se ela não for para o segundo turno, ela apoia o João Campos ou outro candidato que fizer aliança com o PT”, disse Lula.

Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação

Marília Arraes é prima de João Campos, mas os dois são opositores na política. A deputada rompeu com o PSB em 2014 e se filiou ao PT em 2016.

Aliados históricos, PT e PSB deixaram a aliança no Recife em 2012, quando o ex-governador Eduardo Campos, pai de João, aproveitou uma crise entre os petistas para lançar a candidatura do atual prefeito, Geraldo Julio (PSB). Nacionalmente, o fim da aliança foi no ano seguinte, para viabilizar a candidatura dele em oposição a Dilma Rousseff (PT).

Em 2014, o PT entrou na chapa de Armando Monteiro Neto (PTB), derrotado pelo governador Paulo Câmara (PSB). Em 2016, o candidato petista no Recife foi João Paulo, hoje no PCdoB, que perdeu para Geraldo Julio. Já em 2018, a executiva nacional do PT desistiu de lançar Marília Arraes ao Governo de Pernambuco para voltar à aliança com os socialistas.

Para 2020, o partido voltou a ficar dividido. Enquanto o grupo da deputada tenta articular a candidatura própria, o presidente da sigla no Recife, Cirilo Mota, e o senador Humberto Costa, defendem a manutenção da aliança com o PSB. Lula marcou para esta terça-feira (28) uma reunião com os dois grupos para discutir o cenário eleitoral.

Em novembro, após deixar a prisão, Lula esteve no Recife e conversou tanto com Marília Arraes quanto com João Campos.


FECHAR