publicidade
23/01/20
Foto: Ashlley Melo / JC Imagem
Foto: Ashlley Melo / JC Imagem

Aliança entre José Queiroz e Tony Gel pode atrapalhar a vida de Raquel Lyra em Caruaru, diz pesquisa

23 / jan
Publicado por jamildo em Notícias às 19:30

Uma pesquisa qualitativa realizada para medir a temperatura política na capital do Agreste, no segundo semestre do ano passado,  apontou que a prefeita tucana de Caruaru Raquel Lyra pode ter problemas na reeleição este ano. Ainda com dificuldades para realizar todas as entregas, antes de entrar no último ano de mandato, a prefeita do PSDB tinha a gestão mal avaliada e poderia ser ameaçada por uma inusitada união local, de opositores, bem tradicionais na política local.

“A disputa política em Caruaru será acirrada. O eixo da eleição se dará entre Zé Queiroz/Tony Gel contra Raquel Lyra”, opina o sumário.

“O embate eleitoral ainda está longe da cabeça as pessoas, mas quando estimulados pela moderação nos grupos focais a pensarem sobre o cenário do ano que vem, fica claro que a aliança entre Zé Queiroz e Tony Gel e a posição de Raquel Lyra são as principais variáveis da eleição”.

“O principal ponto que vem dominando as conversas sobre política atualmente na cidade é a possibilidade de aliança entre Zé Queiroz e Tony Gel, para enfrentarem a prefeita Raquel Lyra no ano que vem. A possibilidade é especialmente polêmica porque Queiroz é percebido como ex-aliado da família Lyra, e sua possível candidatura em aliança com Tony Gel parece de fato ameaçar o futuro de Raquel”, cita a pesquisa, ao retratar o que seria o clima de opinião sobre o cenário político.

No entanto, há problemas caso os dois caciques do PDT e MDB se unam.

“A possibilidade de aliança entre Zé Queiroz e Tony Gel é vista como uma aliança de conveniência, em favor dos grupos políticos e não da cidade de Caruaru”.

“Há no entanto certa dose de ceticismo quanto a aliança, especialmente entre mulheres e homens mais velhos. Os grupos de Queiroz e Gel podem não ser totalmente compatíveis e aparentemente a operação de soma não seria completa, pois há uma desconfiança mútua que pode atrapalhar essa eventual aliança”.

Desejo de mudanças

“Para além das disputas dos grupos políticos, o cenário em Caruaru é de desejo por mudanças… As pessoas sentem falta de novos nomes e com força política para liderar Caruaru e levar a cidade para fora da crise atual”, informa o estudo.

Mas os nomes que se apresentam, como Eric Lessa e Fernando Rodolfo, não são vistos com força política ainda. O deputado federal ainda pode ter que gramar mais ainda, por ser considerado neófito e forasteiro na cidade, conforme o estudo.

Numa das críticas à Raquel Lyra, os caruaruenses se ressentem de uma melhor relação com o governo Estadual, para levar dinheiro e oportunidades para a cidade.

No estudo, os participantes do grupo de estudo citaram que o clima dominante em Caruaru seria de estagnação. Elas reclamam que pouco ou nada mudou, nos últimos anos. Não haveria perspectiva de crescimento. Alguns pessoas falam mesmo em decepção.

O principal problema da cidade seria o desemprego.

O problema da violência também é citado e a conta é dividida com o Estado, na pessoa de Paulo Câmara, não apenas na conta da prefeita do PSDB.

A educação é elogiada como avanço por parte da gestão Raquel Lyra. As reformas de creche e escolas são reconhecidas como positivas. A prioridade dada pela gestão à educação é vista como a grande marca de Raquel Lyra.

Neste contexto, de cobranças de promessas, a prefeitura Raquel Lyra era negativamente avaliada, mesmo o povo dando um desconto pela crise da economia nacional.

O objetivo da pesquisa era identificar as percepções dos eleitores sobre contexto sócio-político local.

E Paulo Câmara?

“Paulo Câmara é mal avaliado e ao que parece não tem peso político na cidade.”, explica o estudo.

Nesta semana, o governador Paulo Câmara passou pela cidade, fez entrega de obras, mas não entregou o jogo político, como a formação das chapas.

Na avaliação da oposição ao governador do PSB, o apoio a Queiroz seria fato já consumado.

“Eles vão dar carga no PDT em Caruaru. Com isto, Túlio Gadelha rodou no Recife. Eles precisavam tirar o PDT do palanque da oposição na capital”.

A cidade é governada por uma das principais críticas do governo Paulo Câmara, a prefeita Raquel Lyra (PSDB).

Papel de Bolsonaro

“Há uma forte divisão entre apoiadores e detratores do presidente Jair Bolsonaro. Bolsonaro é majoritariamente mal avaliado na cidade, mas seus apoiadores são um grupo significativo e fidelizado. Duas pautas os movimentam. Segurança e combate à corrupção”, frisa o documento.

Paulo Câmara com ações de Infraestrutura e Recursos Hídricos para o Agreste

Em agenda pelo Agreste do Estado, o governador Paulo Câmara mostrou ações na área de Infraestrutura e Recursos Hídricos para a população da região na quarta-feira (22.01).

Pela manhã, o governador inaugurou o Sistema de Abastecimento de Água (SAA) de Jucati, São Pedro e Neves, beneficiando os municípios de Garanhuns e Jucati, no Agreste Meridional.

De acordo com o governo, com um investimento de R$ 6 milhões, a iniciativa vai levar água para cerca de 15 mil habitantes, sendo 100% da população urbana da cidade de Jucati e das localidades de Neves (distrito) e São Pedro (em Garanhuns).

No município de Belo Jardim, no Agreste Central, o governador assinou a ordem de serviço para requalificação dos 30 quilômetros da PE 166 (Estrada de Serra dos Ventos).

A iniciativa faz parte do Programa Caminhos de Pernambuco, com um investimento de R$ 23 milhões.

Em Caruaru, Paulo Câmara assinou a ordem de serviço para requalificação e complementação da rede coletora do sistema de esgotamento sanitário, uma obra que representa um montante de R$ 3 milhões e vai beneficiar 90 mil habitantes (30% da população urbana da cidade).

O governador visitou  a obra de expansão do sistema de esgotamento sanitário Alto do Moura e Rendeiras, a obra de requalificação de estações elevatórias de esgoto do SES Caruaru e as obras do Parque Janelas para o Rio.

No fim fo dia, o governador esteve em Bezerros, onde visitou as obras do sistema de esgotamento sanitário do município. A primeira etapa da implantação conta com um investimento de R$ 43 milhões (obra e materiais), beneficiando cerca de 19 mil habitantes.


FECHAR