publicidade
20/01/20
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Delegada Patrícia Domingos vai se filiar ao Podemos em fevereiro e será pré-candidata a prefeita no Recife

20 / jan
Publicado por jamildo em Notícias às 19:45

Em grupos mais restritos da política local, já se sabia que a delegada Patrícia Domingos, da Polícia Civil de Pernambuco, havia solicitado à Secretaria de Defesa Social (SDS) uma licença de afastamento do trabalho que coincidia com o período eleitoral deste ano.

A jovem servidora pública estava sendo cortejada por vários partidos de direita e centro no Recife, como PRTB, PSL e Novo, Cidadania. Democrata e Podemos, para uma disputa majoritária na capital, depois que o governo do Estado, nas eleições de 2018, decidiu extinguir a Delegacia de Polícia de Crimes Contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp), da qual Domingos foi titular, e criar a Departamento especializado no combate à corrupção e ao crime organizado (Draco).

LEIA TAMBÉM
» Marco Aurélio diz que Patrícia Domingos é bem-vinda na oposição
» Vereador de oposição diz que candidatura de Patrícia Domingos ‘ajuda o povo em se ver livre do PSB’
» Patrícia Domingos não descarta disputar a Prefeitura do Recife

De acordo com informações de bastidores da política local, a delegada fechou um acordo informal com o presidente do Podemos em Pernambuco, deputado federal Ricardo Teobaldo, para ser pré-candidata a prefeita do Recife, nestas eleições.

A expectativa é que a assinatura da ficha de filiação ocorra em fevereiro, no Recife.

Na semana passada, a delegada teve uma conversa pessoal com a presidente nacional do Podemos, Renata Abreu(Podemos/SP), em São Paulo, levada pelas mãos de Ricardo Teobaldo.

Podemos promete priorizar segunda instância e fim do foro privilegiado, na volta dos trabalhos legislativos

“O jogo político do Recife está em andamento e o processo de Patrícia Domingos avançou objetivamente. É um ator novo, que precisava se colocar em campo para sinalizar que deseja ser candidata, que tem um partido e pode reunir as condições para se tornar viável”, afirma uma fonte do blog. “Não há um compromisso da oposição em votar nela, mas, sem partido, ela estava engessada. Agora, dará um sinal ao meio político e poderá fazer articulações, terá a mobilidade de jogar o jogo”.

» Marília Arraes vai se encontrar com Lula para discutir cenário no Recife
» Decisão de Marília Arraes de sair candidata ou não pode afetar chapa da Direita no Recife
» Humberto Costa considera cenário de alianças do PT em capitais, incluindo Recife

Não por acaso, a delegada vinha promovendo um movimento no Recife chamado Protagonize, com o objetivo declarado de formação política de novos quadros para as eleições. Daniel Coelho (Cidadania) e  Priscila Krause (DEM) chegaram a tomar parte das palestras, em um dos eventos, na Livraria Jaqueira.

Na luta pela composição de apoios no Recife, o Podemos estava nos planos do pessoal do Aliança pelo Brasil, dos bolsonaristas.

Ricardo Teobaldo sempre foi ligado ao ex-senador  Armando Monteiro Neto, mas não há informações confiáveis de que Armando Monteiro está por trás das articulações. O que se sabe é que o Podemos, no plano nacional, tem se desgarrado do Bolsorismo, depois da briga do presidente com o PSL. O Podemos tem planos de lançar o ministro e ex-juiz Sergio Moro como candidato em 2022.

» Daniel Coelho diz que pode abrir mão de ser candidato no Recife por união contra o PSB
» Joaquim Francisco é opção real do PSDB para o Recife, diz Bruno Araújo
» ‘Preciso conversar com Joaquim Francisco’ diz Joaquim Francisco, com bom humor, sobre candidatura

“Em política, a gente sabe como entra, mas não sabe como sai. Por ser delegada, ela pode ser até candidata bolsonarista e levar parte do centro também. Em uma eventual radicalização do processo político nacional, teríamos um candidato do PT no Recife e o candidato de Bolsonaro”, avalia um observador da cena local.

Reveja abaixo a entrevista que a delegada da PC concedeu ao Blog de Jamildo e TV JC, em novembro de 2018. No auge da polêmica com a extinção da decasp, Patrícia Domingos foi perguntada se tinha pretensões políticas, mas negou.

Na metade do ano passado, o nome da delegada voltou a gerar celeuma depois de um processo aberto contra ela na corregediria da SDS, a pedido do MPPE. Vários dirigentes partidários da oposição saíram em defesa dela acusando a gestão Paulo Câmara de suposta perseguição.

Veja a reportagem publicada pelo blog, em 1º de agosto de 2019.

Nos bastidores da política local, fala-se que o PSDB e o Democratas já conversam com a delegada Patrícia Domingos para um projeto eleitoral em 2020. Não é por outra razão que partidos como PRTB e Novo, que também tem interesse no passe dela, soltaram notas oficiais ‘defendendo’ contra a abertura de um processo administrativo na SDS.

Pois bem. Mesmo fora do Recife, o ex-ministro Mendonça Filho, do Democratas, fez questão de gravar um vídeo colocando o partido em defesa da delegada. De forma direta, Mendonça Filho tentou associar a imagem dela ao ministro da Justiça de Bolsonaro, Moro, bem como associar o PSB ao PT.

“Nossa solidariedade à delegada Patrícia Domingos, que já chefiou operações contra corrupção em Pernambuco, foi afastada pelo Governo do Estado do trabalho de combate à corrupção e agora virou alvo de um Processo Administrativo na Secretaria de Defesa Social, num procedimento cheio de questionamentos” , afirmou o democrata.

Mendonça publicou em sua página no Facebook um vídeo em defesa da delegada.

Também do Democratas, a deputada estadual Priscila Krause gravou um vídeo criticando o Governo de Pernambuco pelo processo contra Patrícia Domingos. A parlamentar integra a bancada de oposição a Paulo Câmara (PSB) na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).

“Essa é mais uma tentativa de intromissão estatal contrária à preservação do interesse público”, afirmou no Facebook. “Não me causa surpresa que alguém que contrariou tantos interesses sofra o que vem sofrendo agora”, disse ainda no vídeo.

Processo contra Patrícia Domingos

De acordo com a Portaria 359/2019, publicada no Boletim Geral da SDS desta terça-feira (30 de julho de 2019), uma sindicância interna apontou supostas irregularidades administrativas no âmbito da extinta Delegacia de Polícia de Crimes Contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp), da qual Domingos foi titular.

De acordo com a SDS, o processo é baseado em um relatório elaborado pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE), através da 25ª Promotoria de Justiça Criminal da Capital. Os promotores apontaram “ausência de gestão de autos e de controle de tramitação” de inquéritos sob responsabilidade da Decasp.

Segundo o MPPE, 249 inquéritos sob responsabilidade da Decasp estavam prescritos, ou seja, não foram conduzidos em tempo hábil, conforme os prazos legais. Os promotores também apontaram desorganização cartorária, falta de controle de procedimentos e investigações sem diligências.

A delegada negou que tenha cometido irregularidades.

Patrícia Domingos atuou na Decasp até novembro do ano passado, quando a delegacia foi extinta e o Governo de Pernambuco criou o Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco).

Ela chegou a ser chamada pela Secretaria de Defesa Social para exercer o cargo de diretora adjunta do Draco, mas respondeu gostaria de atuar como delegada, não como diretora. Desde então, ela está na 5ª Delegacia de Polícia de Homicídios, responsável por investigações em áreas da Zona Norte do Recife.

A Decasp foi a responsável por operações como a Ratatouille e a Castelo de Farinha, que investigaram supostas irregularidades na contratação de merenda escolar nas prefeituras do Cabo de Santo Agostinho e de Ipojuca, respectivamente.


FECHAR