publicidade
14/01/20
Luciano Bivar e Jair Bolsonaro (Foto: Diego Nigro/Acervo JC Imagem)
Luciano Bivar e Jair Bolsonaro (Foto: Diego Nigro/Acervo JC Imagem)

Para se afastar de Bolsonaro, PSL de Luciano Bivar deve apoiar João Campos no Recife em 2020

14 / jan
Publicado por jamildo em Notícias às 11:47

Afinal, um fato novo nas eleições da capital pernambucana de 2020.

O PSL de Luciano Bivar já está se entendendo com o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), para dar apoio ao projeto de eleição do deputado federal João Campos (PSB) nas eleições deste ano.

“O PSL de Bivar está tentando fazer um movimento para o centro político. O objetivo da articulação é se deslocar do radicalismo de Bolsonaro. Ele se desloca completamente de Bolsonaro no Recife”, explica uma fonte do blog com acesso às articulações.

De acordo com fontes dos bastidores das negociações, o principal dote a ser oferecido por Luciano Bivar no acordo seria o tempo de TV. O PSL detém o segundo maior tempo de televisão no guia eleitoral, só perde para o PT, que ameaça se desgarrar da Frente Popular.

LEIA TAMBÉM
» Luciano Bivar. ‘Governo ficou ensandecido para pegar o dinheiro’, diz
» Com apoio de Bolsonaro, Joaquim Francisco quer unir centro e direita no Recife
» Bivar é indiciado pela PF em caso de supostas candidaturas laranjas
» Em convenção do Aliança pelo Brasil, Bolsonaro critica Paulo Câmara, Bivar e Witzel
» A gente sabe quem não pode ser candidato à PCR: Bivar, diz Carla Zambelli
» Bolsonaro diz a apoiador que Bivar está ‘queimado para caramba’: ‘Esquece’ o PSL’

“Como o PSL perdeu a estrutura de ministérios do governo federal, além de ser uma forma de dar um recado a Bolsonaro, Luciano Bivar poderia achar espaços (indicações) para aliados no plano estadual e  municipal.”, explica-se.

Não por acaso, o governador Paulo Câmara prepara uma reforma administrativa para breve, de modo a acomodar aliados insatisfeitos ou novos participantes no condomínio.

Com a manobra, o PSB de Geraldo Julio também reduziria a influência do MDB de Jarbas Vasconcelos, cujo tempo de TV é sempre citado como moeda de troca para a composição da Frente Popular, de situação.

Paulo Câmara, Geraldo Julio e João Campos na inauguração do Compaz Miguel Arraes (Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem)

De acordo com os interlocutores do processo, o tempo de TV e rádio no guia eleitoral, mesmo em tempo de redes sociais, será crucial para João Campos, nestas eleições.

“Por ser um deputado jovem, João Campos não vai ter o que mostrar. Ele (João Campos) precisa mostrar o que Geraldo Julio fez e o pai (Eduardo Campos) fez lá atras. E só pode fazer isto se tiver um bom tempo de TV”

» João Campos é exaltado por socialistas na inauguração do Compaz
» No PSB, presidente cita possibilidade de candidatura de João Campos
» Marília Arraes, João Campos e Mendonça Filho aparecem em disputa embolada no Recife
» Kataguiri diz que João Campos busca ‘padrinhos criminosos’ para 2020
» ‘Não falamos de eleição’, diz João Campos sobre encontro com Lula
» O que a visita de Lula ao Recife diz sobre o PT nas eleições 2020

Com a manobra, o PSB também sinaliza que pode recompor o time da Frente Popular.

“O reforço a João Campos é evidente, mas também sinaliza para os demais aliados. Hoje, tem o MDB (de Jarbas Vasconcelos e Raul Henry) fazendo biquinho. Tem o PSD (de André de Paula) fazendo biquinho e até o PT anunciando candidatura independente. Então, nada mais natural que o PSB procure outros partidos, outras forças políticas”, afirma um observador da cena local.

Nas eleições estaduais passadas, o PSL de Luciano Bivar deu apoio discreto ao empresário Armando Monteiro Neto, do PTB, que disputou com o socialista Paulo Câmara, do PSB. Nos oito anos anteriores, sempre esteve ao lado do PSB com Eduardo Campos e Paulo Câmara, apenas se distanciando depois da volta do PT para a Frente Popular.

Em 2017, Bivar era suplente e assumiu o mandato de deputado federal após o governador chamar para o secretariado o ex-parlamentar Kaio Maniçoba para a Secretaria de Habitação


FECHAR