publicidade
07/01/20
Ana Arraes
Ana Arraes

Ana Arraes, mãe de Eduardo Campos, diz que será candidata ao Governo de Pernambuco e escancara racha na família Campos-Arraes

07 / jan
Publicado por jamildo em Notícias às 19:52

A ex-deputada federal pelo PSB e ministra do Tribunal de Contas da União Ana Arraes, filha do ex-governador Miguel Arraes e mãe do ex-governador Eduardo Campos, expôs com todas as letras a cisma que existe hoje na relação entre as famílias Campos-Arraes e entre os socialistas após a morte do filho.

A ministra disse que, após deixar o TCU, em dois anos e meio, não planeja se aposentar da vida pública, citando a disputa do governo do Estado. O blog lembrou que existe uma fila e que o prefeito do Recife, Geraldo Julio, é um dos candidatos já declarados.

“Ai é um problema dele (se vai gostar ou não). Eu quero saber é quem é mais antigo. Quem tem mais o que mostrar, em termos parlamentares”, afirmou, em entrevista exclusiva ao blog nesta terça-feira.

LEIA TAMBÉM
» Antônio Campos vê agressão e revida: ‘João Campos foi nutrido na mamadeira da Odebrecht’
» Ana Arraes intervém e pede que João Campos respeite Antônio Campos
» Na Câmara, João Campos diz que tio é ‘sujeito pior’ que Weintraub
» ‘Weintraub faz mal à Educação brasileira’, diz João Campos. Ministro reitera que há plantações de maconha nas universidades

Quando falava do desejo de cuidar da população, Ana Arraes lembrou um episódio do passado, quando foi abordada por crianças no interior que lhe pediam merenda escolar. Ela disse que foi a Eduardo Campos governador e pediu que instituísse merenda para todos aqueles que estudassem na rede pública e que assim foi feito, ao custo de R$ 5 milhões inicialmente. Neste meio tempo, aproveitou um projeto de lei do ex-presidente Lula, que por esforço seu nas comissões parlamentares chegou a ir ao plenário para virar lei.

João Campos e Ana Arraes no cortejo que levou o corpo de Eduardo Campos ao cemitério de Santo Amaro, no Recife, onde foi enterrado (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Sem falar com João Campos

No começo de dezembro passado, o deputado federal João Campos (PSB-PE) criticava o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e acabou atingindo o presidente da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), Antônio Campos, que é tio dele. A fala foi durante a participação de Weintraub em uma reunião da Comissão de Educação da Câmara.

Na entrevista desta terça, Ana Arraes revela que está sem falar com o neto João Campos e que esperava desculpa por parte dele, depois de ter criticado o tio, Antônio Campos, atual presidente da Fundaj, de forma indireta, em plena Câmara dos Deputados, no dia em que os deputados federais estavam arguido o ministro da Educação.

» João Campos é exaltado por socialistas na inauguração do Compaz
» ‘Não falamos de eleição’, diz João Campos sobre encontro com Lula
» O que a visita de Lula ao Recife diz sobre o PT nas eleições 2020

Ana Arraes com o filho Eduardo Campos na sua posse no TCU, em 2011 (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Ana Arraes revelou que passou até mesmo o Natal sem falar com o neto. “Falta de respeito na minha família não existe, eu não admito”.

Na briga com João Campos e Antônio, Ana Arraes disse que não repreendeu o filho pela reação, pouco diplomática. “Quem fala o que quer, ouve o que não quer”, afirma, antes de alguns risos.  Antônio Campos revidou dizendo que ‘João Campos foi nutrido na mamadeira da Odebrecht’.

Marília Arraes e o nome de Miguel Arraes

Sobre as pretensões da deputada federal Marília Arraes, que também pleiteia o cargo de prefeita do Recife e se apresenta como uma das pré-candidatas, pelo PT, Ana Arraes diz que é um direito dela e que todos tem direito de disputar, mas o nome do ex-governador Arraes não pode ser usado sem critérios. Marília é neta de Miguel Arraes e prima de João Campos.

“Quero dizer que a origem política é minha. Eu sou filha de Arraes, eu sou mãe de Eduardo Campos. O nascedouro é meu!”

Sem citar diretamente João Campos ou Marília Arraes, ela dá a receita para um mandato bem sucedido.

“… é um mandato que ainda não representa nada. Tem que estudar Pernambuco, tem que estudar o Estado inteiro, para adquirir uma personalidade própria. Quando você vai pela primeira vez, não tem ligações, como quando você vai pela segunda vez. É necessário se integrar à população, às suas necessidades e se tonar efetivo e eficaz”, sugeriu. Os dois familiares estão em primeiro mandato.

Ana Arraes evitou fazer alguma avaliação sobre o primeiro mandato do neto, ou se ele estava preparado para ser prefeito do Recife. “Não vou fazer diagnóstico. Tem que perguntar a ele”.

Na conversa informal, Ana Arraes evitou especular sobre as eleições em Olinda, onde Antôno Campos volta a ter o nome especulado para a disputa. Nas eleições passadas, o filho chegou a disputar o cargo pelo PSB, mas não obteve sucesso. “(Antônio Campos) foi traído mesmo, pelo PSB. Mas está cedo (para avaliações) vamos esperar mais um pouquinho”.

Ana Arraes foi questionada se um dos seus objetivos seria demarcar o legado de Miguel Arraes e Eduardo Campos em contraposição ao legado da família Andrade Lima, de Renata Campos, viúva de Eduardo Campos e mãe do deputado federal João Campos.

Sem citar Renata Campos

“Ela não … (começa a falar, mas corta o próprio pensamento)”, diz inicialmente, antes de recompor a linha de raciocínio.

“O legado de Arraes é tão explicito que, quando Eduardo Campos foi candidato (ao governo do Estado) eu também fui candidata (a deputada federal). Essa parte atual eu não tenho nada a dizer”, afirma em seguida.

Ana Arraes disse que não pretende mais falar e causar polêmica, mas acrescenta que não lhe falta resolução.

“Sou calma, meço o que vou fazer, mas quando eu faço, eu faço com muito zelo”.

» Presidência? João Campos diz que sonho de crescer na carreira é normal
» Marília Arraes, João Campos e Mendonça Filho aparecem em disputa embolada no Recife
» No PSB, presidente cita possibilidade de candidatura de João Campos

Ouça a entrevista com Ana Arraes


FECHAR