publicidade
03/01/20
Jair Bolsonaro (Foto: Isac Nóbrega/Presidência da República)
Jair Bolsonaro (Foto: Isac Nóbrega/Presidência da República)

Fundo eleitoral: ‘Não bota no meu colo problema que não é meu’, diz Bolsonaro

03 / jan
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 9:35

Pressionado por um grupo do eleitorado após sinalizar que vai sancionar os R$ 2 bilhões previstos para o fundo eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) buscou se distanciar dos recursos para campanhas. Em entrevista em frente ao Palácio da Alvorada, nesta sexta-feira (3), Bolsonaro enfatizou que o fundo foi criado em 2017. 

O presidente disse ser contra a destinação do dinheiro para a propaganda eleitoral, mas alegou que a “bomba” estaria estourando no seu colo. “Não bota no meu colo um problema que não é meu. Sou apenas executor das leis”.

LEIA TAMBÉM
» Bolsonaro diz que vai sancionar os R$ 2 bilhões do fundo eleitoral para não sofrer impeachment
» Veta ou sanciona? Bolsonaro faz pergunta sobre o fundo eleitoral e agita redes sociais

Esse valor é o que foi proposto pelo governo. No Congresso Nacional, os parlamentares chegaram a cogitar aumentar o fundo eleitoral para R$ 3,8 bilhões, mas, diante da expectativa de que seria vetado, voltaram atrás. Em 2018, foram destinados às campanhas R$ 1,7 bilhões.

Além disso, o presidente aproveitou para atacar a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), que era sua aliada e deixou a base em meio aos conflitos com o seu partido anterior. “A deputada ‘fofinha’ de São Paulo está dizendo de forma mentirosa que eu tenho interesse no fundão. Ela usou o fundão”, afirmou Bolsonaro. A parlamentar e os políticos da família Bolsonaro têm trocado farpas nos últimos meses.

Bolsonaro voltou a justificar que estaria cumprindo a Constituição ao sancionar o fundo eleitoral com o valor atual. “Estou vendo uma campanha na internet muito salutar: não vote em quem usa o fundão”, disse.

Pelas redes sociais, o presidente justificou a sanção ao fundo eleitoral:


FECHAR