publicidade
22/12/19
Câmara de Itapissuma (Foto: Divulgação)
Câmara de Itapissuma (Foto: Divulgação)

Câmara de Itapissuma terá nova eleição para presidente

22 / dez
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 12:09

Do Blog de Jamildo, com informações do Jornal do Commercio

Com um presidente afastado e o outro exercendo interinamente o cargo de prefeito, a Câmara Municipal de Itapissuma, na Região Metropolitana do Recife, terá uma nova eleição para a vaga. Uma nova reunião foi convocada pelo primeiro-secretário da Casa, Gonçalo Cunha Amaral (PSB), para esta segunda-feira (23), às 9h30.

O vereador está temporariamente na presidência da Câmara, após ter sido eleito primeiro-secretário neste domingo (22). Ele foi escolhido na chapa de Jean Carlos Alves dos Santos, novo presidente. Porém, como o prefeito, a vice e o chefe do Legislativo estão afastados desde a última sexta-feira (20), Jean Carlos assumiu a gestão municipal e deixou a vaga na Mesa Diretora aberta.

“O presidente foi empossado como prefeito e eu, como primeiro-secretário, assumi interinamente a presidência da Câmara. Já convoquei uma reunião para amanhã [segunda-feira, 23], só para a eleição do presidente”, explicou Gonçalo Cunha Amaral.

Desde a operação, a secretária municipal de Administração, Aldaneide de Souza Lima, estava responsável pela prefeitura.

O prefeito José Bezerra Tenório Filho (PSD), conhecido como Zé de Irmã Teca, e a vice, Elionilda José de Santana (PP), foram afastados. A ação policial atingiu também Jefferson Telles Alves Carneiro de Albuquerque (PSDB), conhecido como GG de Zé Antônio, que comandava o Legislativo municipal, e mais três vereadores.

Os políticos são acusados de integrar uma suposta organização que teria desviado pelo menos R$ 10 milhões do programa de Frente de Serviço, da área de assistência social, desde 2017. 

O programa foi suspenso. De acordo com Jean Carlos Alves dos Santos, a partir desta segunda-feira (23), o caso será avaliado com a equipe jurídica da gestão municipal. 

Aliado do prefeito afastado, ele defendeu a administração. “Afirmo que isso é um projeto social e que o que foi dito, que o ex-prefeito José usou como plataforma de campanha, isso não existe. O programa existe desde 2003 e o prefeito está no primeiro mandato”, alegou.

O vereador afirmou ainda que espera ficar menos tempo do que o previsto na prefeitura. “Existem os seis meses que a Justiça determinou, mas espero que seja rápido, porque o prefeito foi eleito pelo povo, a cadeira é dele. Não tenho como dizer quais são os planos porque amanhã vou marcar uma reunião com os secretários para a gente começar a trabalhar, a cidade tem que andar”.


FECHAR