publicidade
20/12/19

Após críticas de FBC, Paulo Câmara anuncia fábrica da Masterboi, com 800 empregos no Agreste

20 / dez
Publicado por jamildo em Notícias às 15:03

Nesta manha de sexta-feira, o senador Fernando Bezerra Coelho criticou o governador Paulo Câmara, em entrevista à Rádio Jornal. Na mesma manha, a assessoria do governador distribuía o comunicado da empresa pernambucana Masterboi, que anunciou nesta sexta meta de expandir suas operações no Estado.

A companhia anunciou, nesta sexta-feira (20), que investirá R$ 112 milhões na implantação de um frigorífico industrial e um abatedouro no município de Canhotinho, Agreste Meridional.

De acordo com o grupo, apesar de tecnológica, a planta exigirá mão de obra intensiva: serão gerados cerca de 800 postos de trabalho diretos, número que representa mais da metade da população economicamente ativa do município, segundo levantamento da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco.

As obras começarão no primeiro semestre de 2020, com as operações sendo iniciadas no fim de 2022.

Em atividade plena, a nova unidade, que ficará numa área de 110 hectares, terá capacidade de abater 500 bois e processar 250 toneladas de carne por dia, de bois, suínos, caprinos e ovinos.

O protocolo de intenções formalizando o aporte foi assinado pelo governador Paulo Câmara e pelo presidente da empresa, Nelson Bezerra.

O secretário Bruno Schwambach defendeu o papel de uma empresa como a Masterboi para o adensamento de cadeias produtivas no Agreste Meridional – neste caso, o da pecuária de corte, que ganha destaque juntamente à tradição da bacia leiteira na região.

“É um frigorífico que vai desenvolver toda a questão da pecuária de corte. Uma indústria como essa vai estabelecer toda uma cadeia, atingindo também a Mata Sul. É um olhar para uma área que precisava ter um desenvolvimento dentro da sua vocação”, comentou.

Para estimular a pecuária de corte no Estado, o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), Roberto Abreu e Lima, informa que deverão ser firmadas parcerias com outros órgãos do governo e a própria Masterboi.

Através do Conselho Estadual de Políticas Industrial, Comercial e de Serviços (Condic), será avaliada, no 1º trimestre do próximo ano, uma nova leva de incentivos fiscais para a empresa, via Prodepe (Programa de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco).

A análise do novo projeto está prevista para a primeira reunião do conselho, em 2020.

Como contrapartida estadual ao investimento privado, e em paralelo à questão dos incentivos fiscais, a AD Diper também bancará a construção de um acesso viário e de uma via de aceleração nas imediações da fábrica.

LOGÍSTICA PLANEJADA

A escolha de Canhotinho para sediar o novo empreendimento deve-se à localização estratégica da cidade para a pecuária de corte.

Além de ser próxima do estado de Alagoas, grande fornecedor dos insumos para produção, a unidade pode servir de porta de entrada para o Sertão pernambucano.

“Também já vamos nascer habilitados para exportar”, disse o diretor administrativo da Masterboi, Miguel Zaidan, em evento no Palácio.

De acordo com a empresa, a empresa mira o mercado asiático, sobretudo Hong Kong.

“A unidade que vamos construir no estado pode exportar também para os países muçulmanos. Eles são grandes consumidores de carne dianteira, assim como Pernambuco”, acrescentou.

Zaidan informa que serão injetados diretamente, na economia do município, R$ 1,2 milhão mensais, apenas com o pagamento de salários.

O impacto, de fato, será relevante: a população de Canhotinho é de 24,8 mil habitantes e o PIB municipal gira em torno de R$ 200 milhões/ano.

Em 2016, 46,6% do Valor Adicionado Bruto (VAB) da cidade – que é o PIB sem impostos – vinha da administração pública.

A agropecuária aparece em seguida, com 21,3%, segundo pesquisa da Secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico.

500 bois por dia

O deputado estadual Álvaro Porto (PTB), representante da região na Assembleia Legislativa e um dos articuladores da ida do empreendimento para aquele município, disse que a decisão da Masterboi de instalar um frigorífico industrial em Canhotinho significava a redenção da região.

“A chegada de um empreendimento deste porte vai revolucionar não só a economia, gerando empregos, melhorando renda e reforçando e expandindo toda a cadeia de negócios e serviços ligados ao segmento. Vai também injetar ânimo, energia e orgulho nas pessoas. Vai abrir novas perspectivas de futuro, renovar esperanças e, acima de tudo e principalmente, melhorar a vida do povo do Agreste”, disse.

O deputado disse que, em parceria com o prefeito de Canhotinho, Felipe Porto, teve papel na decisão da Masterboi – reconhecido publicamente pelo proprietário da empresa, Nelson Bezerra. “O anúncio é motivo de honra e alegria”.

“Entendemos que a iniciativa vai redesenhar a geografia econômica e social da nossa região e inaugurar um tempo de prosperidade, dignidade e desenvolvimento que tanto sonha e merece o Agreste Meridional”, afirmou.

O frigorífico industrial de Canhotinho terá capacidade para abater nada menos que 500 bois por dia, além de lotes de ovinos e suínos.

“Já há pecuaristas nos procurando para tratar, por exemplo, da possibilidade de aumentar seus rebanhos. Não haverá apenas a preocupação em ampliar a quantidade de animais, mas também a qualidade. Isso significa que o empreendimento deve estimular o melhoramento genético”, afirma Álvaro Porto.

Desde as pequenas propriedades e pequenos pontos comerciais até hotéis, restaurantes, supermercados, postos de combustíveis. Consumo, negócios e serviços de modo geral serão aquecidos. Não só de Canhotinho, mas das cidades vizinhas, incluindo toda a área que faz divisa com Alagoas”, disse.


FECHAR