publicidade
19/11/19
Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação
Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação

‘Não falamos de eleição’, diz João Campos sobre encontro com Lula

19 / nov
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 15:12

O deputado federal João Campos, possível candidato à Prefeitura do Recife pelo PSB, negou que tenha conversado com o ex-presidente Lula sobre uma eventual aliança com o PT para o pleito municipal de 2020. O parlamentar, que é filho do ex-governador Eduardo Campos, almoçou com o petista no último domingo (17).

“A gente conversou sobre o momento que o Brasil está passando. Foi um momento de dar um abraço de carinho e de solidariedade. Meu pai era muito amigo do presidente Lula, foi um encontro fraternal”, disse nesta terça-feira (19), em entrevista ao programa Cidade em Foco, da Rede Agreste de Rádios.

“Não falamos de eleição. A eleição vai ser tratada no próximo ano. E aquele encontro não era para isso, ele estava comemorando com o Nordeste inteiro”.

LEIA TAMBÉM
» O que a visita de Lula ao Recife diz sobre o PT nas eleições 2020
» No Recife, Lula ameniza discurso e diz que não vende ódio, mas amor
» No Recife, Lula usou jantar reservado para sinalizar que Marília Arraes está no jogo
» Geraldo Julio, João Campos e Renata Campos recebem Lula no Recife
» Teresa Leitão liga fala de Lula a ‘possibilidades concretas’ de candidatura própria no Recife
» Vereador tenta barrar homenagem da Câmara do Recife a Lula

Lula esteve no Recife em seu quarto ato público após ter sido libertado da prisão, no último dia 8. O ex-presidente discursou no Festival Lula Livre, mas não citou aliados locais.

O líder petista almoçou com João Campos e outros nomes do PSB, como a mãe do deputado, Renata Campos, e o prefeito do Recife, Geraldo Julio. Apesar disso, Lula jantou na casa da deputada federal Marília Arraes, prima de João, que é contrária à aliança e se coloca à disposição para disputar a prefeitura caso o PT opte por uma candidatura própria.

Aliados históricos, PT e PSB romperam no Recife nas eleições de 2012, quando petistas entraram em crise e Eduardo Campos, então governador, aproveitou a brecha para articular a campanha de Geraldo Julio. Em 2013, os socialistas retiraram o apoio ao governo Dilma Rousseff (PT) em âmbito nacional, para viabilizar a candidatura de Campos à presidência.

A retomada da aliança em Pernambuco, em 2018, levou à retirada da candidatura de Marília Arraes ao governo para que o PT apoiasse a reeleição do governador Paulo Câmara (PSB). O socialista não se encontrou com Lula por estar na Europa para reuniões do Consórcio Nordeste.


FECHAR