publicidade
30/10/19
Augusto Aras (Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE)
Augusto Aras (Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE)

Aras diz que arquivou menção a Bolsonaro no caso Marielle: ‘factoide’

30 / out
Publicado por Fillipe Vilar em Notícias às 15:18

O Procurador-Geral da República (PGR), Augusto Aras, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, afirmou ter arquivado a notícia de fato enviada pelo Ministério Público ao Supremo Tribunal Federal (STF) que trazia a menção de Jair Bolsonaro (PSL) no caso do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Segundo o PGR, a o episódio da divulgação do fato pela reportagem da TV Globo como “factoide”. Aras afirmou que deve encaminhar o Ministério Público Federal (MPF) para investigar as circunstâncias da citação e da divulgação.  O inquérito atende a um pedido do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

LEIA TAMBÉM
» PSOL: ‘Brasil não pode conviver com dúvida sobre relação entre Bolsonaro e assassinato de Marielle’
» Bolsonaro diz que não tinha motivo para matar ninguém
» Bolsonaro acusa Witzel de divulgar informações do caso Marielle para Rede Globo

“Por si só, a notícia de fato [que chegou ao STF] já encerrava a solução do problema”, afirmou Aras ao jornal. “[O arquivamento ocorreu] porque não tinha nenhuma hipótese [de investigação do presidente] a não ser a mera comunicação [ao Supremo”, avaliou.

Marielle Franco foi morta a tiros em março de 2018 (Foto: Divulgação)

“Factoide”

“O que existe agora é um problema novo, o factoide que gerou um crime contra o presidente”, disse o procurador-geral. Ele relembra que o próprio Ministério Público do Rio de Janeiro, ao enviar o depoimento do porteiro ao STF, remeteu junto uma declaração da Câmara dos Deputados constatando a presença de Bolsonaro em Brasília no dia do crime, 18 de março de 2018.

» ‘Vocês são canalhas, patifes. Não são patriotas’, esbraveja Bolsonaro em resposta à reportagem da Globo
» Caso Marielle: #QuemEstavaNaCasa58, questiona Twitter após reportagem citando Bolsonaro
» Bolsonaro aciona Moro para que porteiro que o citou em Caso Marielle deponha à PF
» Witzel se defende de acusações de Bolsonaro sobre Marielle: ‘fui atacado injustamente’
» Globo responde Bolsonaro e diz que ‘não fez patifaria nem canalhice’
» Saiba onde estava o clã Bolsonaro quando suspeito de matar Marielle foi a condomínio

Aras afirmou que foram enviadas ao STF gravações de ligações entre a portaria do condomínio Vivendas da Barra e as casas apontadas pelo porteiro. “Não há menção ao presidente”, disse o PGR. A equipe comandada por Aras também estaria ouvindo o restante das gravações, referentes aos dias seguintes, mas por enquanto não haveria indícios de envolvimento de Bolsonaro.


FECHAR