publicidade
25/10/19
Anderson Ferreira (Foto: Matheus Britto/PJG)
Anderson Ferreira (Foto: Matheus Britto/PJG)

Anderson Ferreira bate em Paulo Câmara, Geraldo Julio e João Campos sobre crise do óleo

25 / out
Publicado por Fillipe Vilar em Notícias às 20:12

 

Em entrevista ao programa Resenha Política nesta sexta-feira (25), Anderson Ferreira (PL), prefeito de Jaboatão dos Guararapes, fez duras críticas ao governo Paulo Câmara (PSB) e ao deputado federal João Campos (PSB). Ferreira deu sua versão sobre o episódio da sua saída da reunião do governador com prefeitos das cidades atingidas pelo óleo cru nas praias.

“Nós adotamos um protocolo dentro do nosso município”, disse. “De quatro horas da manhã conseguimos detectar a mancha. De sete horas da manhã, a praia já estava limpa. Eu estava no momento da chegada do óleo na cidade”, explicou.

“Saio para o Palácio para a reunião, uma atitude importante, mas quando cheguei eu achava que ia ser instalado um protocolo do governo”, afirmou. Segundo Ferreira, a reunião não teria sido “produtiva”, pois a discussão teria girado em torno de “buscar culpados” pelo vazamento.

Anderson Ferreira no Resenha Política (Foto: Roberta Salles/TV JC)

“Eu achava que o governo estenderia as mãos para as cidades, mas eu vi muito discurso e pouca ação”, reclamou. “O que eu vi ali foi um edital para uma pesquisa. Nós precisamos de resultado agora”, disse Anderson.

Em outro momento da entrevista, o prefeito fez um apelo: “governador, venha saia do seu gabinete. Venha para Jaboatão, conhecer os problemas de Jaboatão”.

O prefeito de Jaboatão também disse que faltou “humildade” ao governo do Estado durante a crise. “Pernambuco precisa sim de ajuda, mas ninguém pode oferecer ajuda a quem não pede e depois você culpar a ajuda não oferecida”, afirmou.

“Muito discurso, muito isolamento, troca de farpas com o governo federal. Eu tenho mais o que fazer”, atacou.

Ferreira tem dialogado de forma estreita com membros do governo federal. Sua prefeitura é uma frente da gestão bolsonarista no estado, em oposição ao governo de Paulo Câmara (PSB). Um dos episódios que ilustra essa disputa foi o da reunião do gabinete de crise do governo do estado, na quarta-feira (23). Anderson saiu no meio da reunião, acusando o governador de não ter um protocolo de gestão da crise pronto.

Na ocasião, Paulo Câmara respondeu que Ferreira “chegou tarde e saiu mais cedo” da reunião.

Outros questionamentos

Anderson Ferreira também questionou a ausência do prefeito Geraldo Julio (PSB) na reunião com o governador, diante do desastre ambiental. “Acho que essa deve ser uma preocupação de todas as cidades envolvidas”, disse. “A cobrança é feita para os prefeitos das cidades, mas o prefeito da capital não estava presente para ajudar”, afirmou ainda.

Mesmo aliado, Ferreira aproveitou para criticar, também, as reiteradas afirmações de representantes do governo Bolsonaro (PSL), como o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles e o próprio presidente, em apontar a Venezuela como responsável pelo vazamento de óleo. “Essa atitude de buscar culpados não leva a nada no momento. Temos que assumir nossa responsabilidade”, avaliou.

“A gente tem que se deparar com esse estrago ambiental, colhendo esse material, retirando do mar. Essa é a preocupação que eu deixo para o deputado João Campos. Não posar para uma foto pegando na mancha de óleo e depois ir para o Congresso Nacional pedir uma CPI”, bateu Anderson Ferreira.

João Campos (Foto: Divulgação)

“Tem que sujar o sapato. Não melar a luva e fazer aquela carinha de nojo. Depois ir para o Congresso Nacional buscar uma CPI para investigar culpados. Venha para Pernambuco, para Jaboatão, para ajudar”, continuou o prefeito.

Ferreira também atacou o trabalho da Compesa na cidade de Jaboatão. “A Compesa presta um desserviço. Sai abrindo buraco em todos os lugares da cidade. A prefeitura vem fazendo drenagem e fazendo asfalto”, disse.

Respostas

O Blog de Jamildo procurou o governo de Pernambuco para saber se o governador ou a gestão iriam responder as afirmações de Anderson Ferreira. A assessoria de comunicação do governo disse que não responderia.

A Prefeitura do Recife afirmou que não vai se manifestar sobre as falas do chefe do executivo de Jaboatão. O deputado João Campos, até a publicação, também não respondeu Anderson Ferreira. O espaço está aberto e assim que houver resposta a matéria será ampliada.

*Matéria atualizada no sábado (26), às 16h22

Acompanhe a entrevista completa


FECHAR