publicidade
21/10/19
Fotos: Hélia Scheppa/Divulgação
Fotos: Hélia Scheppa/Divulgação

‘Pacto Pela Vida ressurge com força. Pernambuco investiu pesado contra tráfico de drogas’

21 / out
Publicado por jamildo em Notícias às 11:00

Os crimes patrimoniais no Brasil

Por José Maria Pereira da Nóbrega Júnior – doutor em ciência política

O crime patrimonial no Brasil foi reduzido em 14% no comparativo 2017/2018 de acordo com os dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2019. Os indicadores de crime patrimonial nesta minha análise são os roubos a estabelecimento comercial, roubos a residências, roubos a transeuntes, roubos a instituições financeiras e roubos de cargas. Os dados foram compilados de acordo com as informações encaminhadas pelas secretarias estaduais de segurança pública dos estados.

A maioria dos estados do país apresentou recuo nos crimes contra o patrimônio, com destaque a Minas Gerais que teve a maior retração nos roubos totais que foi de -32,5%. O dado nacional negativo foi do Acre que apresentou o maior incremento comparativo (2017/2018) com 52,6% de crescimento.

No Nordeste, o Estado de Pernambuco foi o que apresentou o melhor resultado. Com -22% de redução no crime patrimonial.

O único Estado a apresentar dado positivo, ou seja, de crescimento nos indicadores foi Alagoas, com 2,7% de incremento nos roubos totais.

Analisando os dados desagregados para cada tipo de roubo ou crime patrimonial em Pernambuco:

Os indicadores são alvissareiros para Pernambuco, com o destaque para a redução dos crimes a estabelecimento comercial, redução de 32,5%, e roubo a instituição financeira, com recuo de 31,6%.

O Pacto Pela Vida parece que ressurge com força e o investimento de Pernambuco é demonstrado em números pelos dados compilados pelo Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Os gastos totais em segurança pública (que abrange os gastos com policiamento, defesa civil, inteligência e demais funções) foi acrescido em 6% na relação 2017/2018.

Neste último ano o governo investiu 2,8 bilhões de reais na pasta, com destaque ao investimento em policiamento que ultrapassou os 2,3 bilhões, com incremento percentual de 16% no comparativo 2017/2018.

Pernambuco também investiu pesado contra o tráfico de drogas o que fez aumentar os registros por tráfico de entorpecentes em 37%, no que diz respeito ao tráfico, e 79% em relação a posse por parte de usuários, o que fez aumentar o custo de comercializar e consumir drogas.

Os dados de maior investimento em segurança pública, com maior controle do tráfico de drogas, tiveram correlação forte com os dados de crimes violentos, homicídios e crimes patrimoniais, como os dados já analisados neste artigo. Os homicídios, ou mortes violentas intencionais (mvis), foram reduzidos em suas taxas por cem mil em -23,3%, uma das maiores reduções da federação e a maior entre os estados nordestinos.

Não estou afirmando que a causa da queda do crime tenha sido os investimentos financeiros de Pernambuco na pasta, juntamente com o maior controle do tráfico de drogas, mas que houve uma clara correlação entre esses dados e que, obviamente, juntamente com outros fatores causais, contribuíram para o sucesso recente do referido Estado no controle dos crimes patrimoniais e contra a vida.

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem


FECHAR