publicidade
07/10/19
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

PSB faz nova ofensiva para filiar vereadores do Recife e fortalecer chapa

07 / out
Publicado por Douglas Fernandes em Notícias às 18:03

Como estratégia para as eleições de 2020 no Recife, o PSB vem cortejando políticos com mandato na Câmara de Vereadores e que disputarão a reeleição no ano que vem. Parlamentares sem partido, de siglas da base do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), e até mesmo da oposição estão sendo convidados a ingressar nas hostes socialistas para fortalecer o chapão da legenda na primeira eleição sem coligações proporcionais.

A movimentação vêm dando frutos. Neste ano pré-eleitoral, o partido conseguiu o ingresso dos vereadores Aerto Luna (ex-PRP, hoje fundido ao Patriota), que já era da base, Alcides Texeira Neto, que estava sem partido após ser expulso do PRTB por não seguir a orientação da executiva nacional da sigla de fazer oposição à gestão socialista, e Rinaldo Júnior (ex-Republicanos), que chegou a ser líder da oposição à gestão de Geraldo Julio.

No grupo dos sem partido na Casa José Mariano, o vereador Samuel Salazar recebeu o convite para se filiar ao PSB e até já se reuniu com o prefeito Geraldo Julio e o presidente estadual da legenda e secretário estadual de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Sileno Guedes. O parlamentar também foi expulso do PRTB por discordar da saída da sigla da base do governo municipal. O partido tem o líder da oposição ao governo Paulo Câmara na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), deputado Marco Aurélio, como pré-candidato à prefeitura recifense.

Samuel Salazar (Foto: Carlos Lima/Câmara do Recife)

A aproximação com o governo é ressaltada pelo próprio Salazar, que assumiu o mandato na Câmara na vaga que era de Marco Aurélio. “A relação da gente com o PSB tem sido bem salutar, saudável, uma relação boa. Eu estou com quatro leis aprovadas e sancionadas pelo prefeito em oito meses de mandato. Temos uma excelente relação tanto com o prefeito como com Sileno”, afirmou.

Uma amostra dessa relação com os socialistas foi a defesa da candidatura do deputado federal João Campos (PSB) à Prefeitura do Recife.

MDB e PP, que fazem parte hoje da base dos socialistas no Recife e no Estado, também fizeram convites ao parlamentar, que conversou pessoalmente com o presidente estadual do MDB, deputado federal Raul Henry, e com o presidente estadual do PP, deputado federal Eduardo da Fonte. O Republicanos (ex-PRB), presidido pelo deputado federal Silvio Costa Filho, também cortejou o vereador, mas corre por fora porque faz oposição ao PSB. Segundo o próprio vereador, ele não quer inviabilizar sua relação com a prefeitura.

“Estamos finalizando as conversas. Até a semana que vem a gente define isso (a filiação)”, disse.

Único vereador do PSD – sigla que faz parte da base dos governos Paulo Câmara e Geraldo Julio – na Câmara Municipal, Gilberto Alves não descarta mudar de partido e, novamente, entre os destinos prováveis está o PSB. Os socialistas já fizeram o convite. “É sempre uma honra receber um convite (de filiação) de um partido como o PSB”, disse.

O movimento seria atrelado ao seu atual partido conseguir montar uma “chapa competitiva” no pleito do ano que vem ou não. Apesar de ressaltar ser “prioridade” fortalecer o PSD, Alves deixou claro que está à espera de definições do partido, citando a possibilidade do presidente estadual da sigla, deputado federal André de Paula, concorrer à prefeitura.

“Se por alguma razão o PSD não conseguir se viabilizar em uma chapa competitiva para vereador, a gente vai ter que pensar em outros caminhos. Nesse momento, sim, a gente vai analisar os convites que a gente tem e quais as possibilidades que temos na mesa”, afirmou.

Gilberto Alves (Foto: Reprodução / Câmara do Recife)

O presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, afirmou que a ofensiva por vereadores não ocorre apenas na capital, mas é reproduzida nas outras 69 cidades pernambucanas governadas pelo partido. No Recife, o socialista disse que o trabalho de articulação para atrair novos quadros com mandato é feito em conjunto com o secretário de Governo do Recife, João Guilherme Ferraz.

“Esse movimento que o PSB está fazendo na Câmara do Recife também está fazendo em vários outros municípios. Porque é uma questão de afinidade política e também de matemática. Quanto mais você fortalecer uma chapa com vereadores com mandato, a chance de você de atender o coeficiente eleitoral e garantir a reeleição desses vereadores é maior”, afirmou.

Segundo Sileno Guedes, não será “nenhuma surpresa se uma parte considerável desses vereadores migrarem para o partido do prefeito”.

Sileno Guedes (Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem)

O dirigente socialista citou convites a Samuel Salazar e Gilberto Alves. “A gente tem conversado sim com vereadores que tem uma afinidade política conosco como o vereador Samuel. Convidamos ele para ir para o partido, convidamos o vereador Gilberto Alves”, afirmou.

Questionado se o convite a Gilberto Alves poderia afetar a relação dos socialistas com o PSD, o presidente estadual do PSB disse que o movimento “de forma alguma” impacta na composição com os atuais aliados.

Guedes ressaltou que o cortejo ao vereador foi feito antes de André de Paula ter tido o nome alçado para a disputa pela sucessão de Geraldo Julio pelo presidente nacional do partido, o ex-ministro Gilberto Kassab. “Todos esses movimentos que têm sido feitos têm passado pelas direções estaduais dos partidos. Na época dessas conversas (com Gilberto Alves) não tinha tido esse indicativo (da pré-candidatura de André de Paula)”, disse.

“O PSD tem um fato novo que é a candidatura do deputado André de Paula. A gente não sabe se vai avançar, se consolidar (a candidatura), se o PSD vai continuar na aliança”, disse.

Apesar da movimentação do PSB, o dirigente fez uma ressalva e disse que as conversas sobre possíveis filiações à legenda ocorrem mais entre os parlamentares na Casa José Mariano e que estão fazendo sua contas visando 2020. “Os vereadores estão fazendo também suas contas. O partido precisa montar uma chapa para atingir o coeficiente eleitoral para garantir a cadeira”, destacou.

Também sem legenda, o vereador Hélio Guabiraba foi mais um expulso do PRTB por não seguir a orientação partidária de fazer oposição ao PSB. Questionado sobre quais siglas fizeram convites, o parlamentar se esquivou, mas deixou claro que vai ingressar em um partido da base do governo Geraldo Julio. “Sem sombra de dúvidas (sobre ingressar em uma legenda governista). Eu continuo na base do prefeito. E no momento certo se eu tiver que escolher um partido vai ser um partido da base do prefeito Geraldo Julio”, afirmou.

Foto: Carlos Lima/Câmara do Recife

Com um prazo de filiação para os que vão concorrer às eleições só se encerrando em abril, o vereador disse que vai deixar para bater o martelo sobre o seu destino só depois do Carnaval. “Quando chegar o carnaval, eu vou reunir o grupo, os amigos do gabinete, para tomar uma decisão para onde a gente vai. Não tenho pressa”, disse.

Um dos destinos possíveis é o PTC, presidido na cidade por Joaquim Oliveira, filho do parlamentar. Liderado por Guabiraba, o Movimento Avança Recife já se juntou às fileiras do partido.

‘Salve-se quem puder’

Líder da oposição ao prefeito Geraldo Julio, o vereador Renato Antunes (PSC) diz que há “um salve-se quem puder na Câmara Municipal do Recife”. Muitos vereadores que se diziam de oposição, que estiveram na oposição, alguns vereadores que mantinham uma neutralidade, tinham um mandato mais independente estão se agarrando agora a um partido político que lhe dá mais condição em um projeto de reeleição. Esse ciclo migratório de vários parlamentares para o PSB é atrativo pela chapa que o PSB está montando, onde uma chapa que tem a previsão de eleger 14 ou 15 vereadores”, disse o parlamentar.

Foto: Anderson Barros/Câmara do Recife

Apesar da avaliação, o líder da oposição disse que “é natural que alguns vereadores busquem o caminho mais fácil para sua reeleição”, mas ressaltou lamentar o movimento. “Eu lamento por isso porque perde a democracia. Quando a gente adere a um palanque a, palanque b simplesmente por conveniência política eleitoral a gente perde o sentido de representação. É uma grande conveniência eleitoral para se eleger”, disparou.

Líder do governo Geraldo Julio (PSB), Eriberto Rafael (PTC) também avaliou a movimentação na Câmara do Recife como “natural” e citou a conjuntura nacional com o PSB fazendo oposição ao governo Jair Bolsonaro (PSL). “Todos os vereadores que estão sem partido estão procurando os partidos que tenham uma identificação com o que eles vêm defendendo dentro no dia a dia na Câmara. Com a mudança da política federal, o PSB marchou fortemente contra o PSL de Bolsonaro e isso fez com que tivesse aproximação com algumas peças da oposição que sempre militaram na esquerda como Rinaldo Júnior”, disse.

Eriberto Rafael (Foto: Anderson Barros/Câmara do Recife.)

O vereador é também um exemplo de quem está de malas prontas para ingressar em um novo partido e tem conversas avançadas para se filiar ao PP, partido que já tem em seus quadros o presidente da Alepe, deputado Eriberto Medeiros, que é pai do vereador.

“A prefeitura sempre se manteve no diálogo tanto com a oposição como a situação. Agora quem ta tomando conta dessa questão mais partidária é o próprio presidente do partido, Sileno Guedes”, disse.


FECHAR