publicidade
04/10/19
Foto: Câmara do Recife
Foto: Câmara do Recife

‘João Campos é candidato porque é filho da rainha’, diz Jayme Asfora

04 / out
Publicado por Fillipe Vilar em Notícias às 19:32

O vereador Jayme Asfora (sem partido) abriu fogo contra o deputado federal João Campos e o PSB nesta sexta-feira (4), na rádio Transamérica. O parlamentar afirmou que a postura do partido em Pernambuco é “monárquica” e criticou o critério  de escolha de Campos para uma possível candidatura à Prefeitura do Recife.

“A prática política do PSB é oligárquica e atrasada. É dinástica, monárquica. João Campos é candidato porque é filho da rainha, era filho de Eduardo [Campos]. Isso não pode ser um critério de escolha. Eu não vou me meter no PSB porque não sou do partido, nunca fui e nem quero ser”, disse.

“Eu acho que o critério para escolher um candidato não deve ser se é da família Campos ou não. Eu vou votar num candidato que faça oposição à atual gestão e que tenha uma visão mais moderna”, continuou o vereador.

Recursos federais

Na última terça-feira (1º), o vereador Jayme Asfora disse que a cidade do Recife estaria proibida de receber recursos do governo federal para o setor de mobilidade. A fala foi no plenário da Câmara de Vereadores da capital pernambucana.

“O município do Recife está proibido de receber qualquer recurso, seja de emendas parlamentares ou de programas do Governo Federal, que venha do Orçamento Geral da União (OGU) para a área de mobilidade. Tudo isso por negligência da Prefeitura da Cidade que, em sete anos não mandou o seu Plano de Mobilidade para a Câmara dos Vereadores”, afirmou.

Segundo o parlamentar, o inciso 4º da Lei Federal nº 12.587, de 3 de janeiro de 2012deixa claro que “os Municípios que não tenham elaborado o Plano de Mobilidade Urbana até a data de promulgação desta Lei terão o prazo máximo de 7 (sete) anos de sua entrada em vigor para elaborá-lo, findo o qual ficarão impedidos de receber recursos orçamentários federais destinados à mobilidade urbana até que atendam à exigência desta Lei”. 

“O prazo final foi 12 de abril deste ano, depois de a União adiá-lo várias vezes. Ou seja, a Prefeitura deixou para depois da última hora. Sem falar que, em 18 de junho de 2013, a gestão retirou o Plano que já estava em tramitação no Legislativo e nunca mandou outro para substituí-lo”, disse Asfora, que está sem partido.

Jayme Asfora afirmou que em 25 de setembro, fez uma consulta oficial ao Governo Federal e a informação de que a cidade já está impedida de receber recursos do OGU foi dada pela Secretaria Nacional de Mobilidade e Serviços Urbanos do Ministério das Cidades.

“Lembrando que a mobilidade do Recife está sempre nos piores rankings que são feitos como o da empresa internacional GPS Tomtom que indicou nossa capital como sendo a que detém o posto de trânsito mais caótico do Brasil e uma das dez piores do mundo. Além disso, dados do Ministério da Saúde apontam a cidade como sendo a terceira mais perigosa para pedestres na lista nacional, perdendo apenas para o Rio de Janeiro e São Paulo. Entre 2016 e 2017, foram 285 óbitos por atropelamento”, disse o vereador. 

Na ocasião, o Blog de Jamildo entrou em contato com a Prefeitura do Recife para que pudesse ter o contraditório sobre a alegação. A assessoria de comunicação afirmou que estava apurando as afirmações do vereador e responderia em breve. Assim que houver resposta, esta matéria será ampliada.


FECHAR