publicidade
21/09/19
Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem
Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem

Em São Paulo, PT discute campanha por Lula, com participação de pernambucanos e vice de Paulo Câmara

21 / set
Publicado por jamildo em Notícias às 15:12

Um informe do PT dá conta que a agremiação reune neste sábado em São Paulo membros dos comitês e entidades nacionais para fazer uma avaliação e traçar perspectivas sobre a campanha pela liberdade do ex-presidente Lula. O evento será realizada até às 18, no Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de São Paulo.

Na parte da manhã houve um debate sobre o cenário político com a participação de Gleisi Hoffmann (PT), Juliano Medeiros (PSOL) e Luciana Santos (PCdoB)

De Recife, seguiram Ana Gusmão e Klauber Teixeira, do Pedal Lula Livre, Bruno Uchôa, do Comitê Lula Livre do bairro de Casa Forte, além da secretária de Comunicação do PT Pernambuco, Sheila Oliveira.

“Todos irão representando os comitês populares Lula Livre, que organizam atividades permanentes da campanha no estado. Vamos levando os abaixo assinados pela libertação de Lula coletados nas atividades que realizamos. Estamos com uma expectativa de que esta plenária possa fortalecer as atividades dos comitês populares por que nossa determinação é permanecer nas ruas e na resistência até que Lula esteja livre, o que esperamos que seja o mais rápido possível”, disse Sheila Oliveira, ex-assessora de João Paulo na PCR.

“É um momento de escuta dos militantes que estão na campanha para verificar o que está dando certo e o que precisa ser melhorado.”, disse o partido

Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, antes do encontro, já havia divulgado uma mudança na estratégia.

“A defesa da liberdade de Lula está cada vez mais entrelaçada com os ataques ao Estado democrático de direito. Diante disso, o intuito é não isolar a campanha nela mesma ao participar de movimentos como o da educação, contra as queimadas na Amazônia, pró aposentadoria, etc. A prisão de Lula está relacionada ao momento que o país vive. É símbolo do cerceamento da democracia, da censura que tenta se instaurar na cultura, nas universidades e nas periferias.”, afirmou.


FECHAR