publicidade
15/09/19
18ª Parada da Diversidade (Foto: Bruno Campos/JC Imagem)
18ª Parada da Diversidade (Foto: Bruno Campos/JC Imagem)

Tom político marca primeira parada LGBT pernambucana na era Bolsonaro

15 / set
Publicado por Fillipe Vilar em Notícias às 15:23

A 18ª Parada da Diversidade, já tradicional, ocorreu neste domingo (15) no bairro de Boa Viagem, Zona Sul do Recife, com o tema “Ontem, hoje e sempre. Resistir para libertar”. A mobilização deste ano teve um tom político fortemente marcado. A organização esperou receber um público de pelo menos 500 mil pessoas.

Gritos contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL) foram constantes durante o desfile. O primeiro carro alegórico foi da Central Única dos Trabalhadores (CUT), que sempre assume um tom contrário ao chamado “bolsonarismo”.

Nos trios e no desfile, presença de parlamentares do campo da esquerda estadual. Compareceram as Juntas, codeputadas estaduais pelo PSOL, além do líder do governo na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) Isaltino Nascimento (PSB), o deputado estadual João Paulo (PCdoB) e a deputada federal Marília Arraes (PT).

LEIA MAIS
»Osmar Terra suspende edital para TVs públicas após crítica de Bolsonaro a projetos de temática LGBT
»Grupos LGBT repudiam falas da bancada evangélica da Alepe sobre concurso

Isaltino destacou as ações do governo do estado para a parcela LGBT. “Estamos ampliado as ações voltadas à educação, saúde, segurança pública, nos segmentos de movimentos sociais”, afirmou.

Na quarta-feira passada (11), o relatório da Secretaria de Defesa Social registrou um aumento nos registros de violência contra as mulheres e contra a população LGBT em Pernambuco. Em entrevista à TV Jornal, o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, alegou que o aumento se deu por conta do “encorajamento” do governo para as vítimas denunciarem os casos de violência.

Críticas ao governo

O deputado estadual João Paulo mencionou a “violência praticada pelo estado” contra a população LGBT no país. “Há perseguição neste momento onde o governo Bolsonaro trata com discriminação e violência parcelas significativas do povo brasileiro”, disse o parlamentar.

A petista Marília Arraes afirmou que o Brasil vive um momento onde a “falta de respeito ao diferente e o conservadorismo têm avançado a cada dia”. Ela aproveitou a ocasião para criticar a gestão estadual. 

»Concurso de fotografias do Governo voltado para público LGBT repercute no Plenário

“É um grupo que já está no governo há mais de 12 anos. Se tivesse vontade política de diminuir a violência contra a comunidade LGBT, a violência contra a mulher, haveria um direcionamento na educação para formar uma geração diferente”, afirmou Marília.

Ainda criticando o governo Paulo Câmara (PSB), Arraes afirmou que a atual gestão “sempre se mostrou conservadora”, e que estaria declarando apoio a causas de minorias para “passar um verniz de esquerda”.


FECHAR