publicidade
28/08/19
Fernando Bezerra Coelho. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado
Fernando Bezerra Coelho. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

FBC diz que mudanças na reforma da Previdência ‘conferem ainda mais justiça’

28 / ago
Publicado por Douglas Fernandes em Notícias às 12:22

Líder do governo Jair Bolsonaro (PSL) no Senado, o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) elogiou as mudanças realizadas no texto da reforma da Previdência pelo relator da matéria na Casa Alta, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). O parlamentar pernambucano disse que o governo vai trabalhar para aprovar o parecer do tucano na Comissão Constituição e Justiça (CCJ) na próxima quarta-feira (4).

“O governo vai apoiar a aprovação do relatório do senador Tasso Jereissati. Ele introduziu algumas mudanças, que, de certa forma, conferem ainda mais justiça ao texto aprovado pela Câmara dos Deputados e também coloca na PEC paralela a possibilidade de receitas adicionais. Portanto, o governo vai trabalhar para que o relatório possa ser votado na próxima quarta-feira aqui na CCJ”, disse Fernando Bezerra.

Segundo FBC, as mudanças sugeridas pelo relator aprimoram a proposta de emenda à Constituição que altera as regras para aposentadorias e pensões. Na manhã desta quarta-feira (28), o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), projetou que a reforma seja votada até o dia 10 de outubro em plenário. Jereissati fez nesta quarta (28) a leitura do seu relatório na CCJ.

A chamada PEC paralela também abre a possibilidade de inclusão de estados e municípios na Reforma da Previdência. Pelo relatório de Tasso Jereissati, os estados que aprovarem lei ordinária seguirão as mesmas regras da reforma aprovada pelo Congresso. E as novas regras previdenciárias serão estendidas aos municípios dos estados que aderirem à Reforma da Previdência.

Mudanças

As mudanças no pagamento de Benefício de Prestação Continuada (BPC) e no valor do pagamento da pensão por morte são alguns desses pontos. A supressão das alterações dos benefícios não implica volta do texto à Câmara dos Deputados. De acordo com Tasso Jereissati, com as alterações que ele fez, a economia que a reforma gerará para o governo passará de R$ 930 bilhões para R$ 1,350 trilhão.

Confira o relatório de Tasso Jereissati na íntegra

 

*com informações da Agência Senado


FECHAR