publicidade
12/08/19
Foto: Clemilson Campos/Acervo JC Imagem
Foto: Clemilson Campos/Acervo JC Imagem

Desembargador do TJPE ‘sugere’ ‘interdição’ de Bolsonaro por ‘falta de condições mentais para o exercício do cargo’

12 / ago
Publicado por jamildo em Notícias às 12:15

O desembargador Bartolomeu Bueno, do Tribunal de Justiça do Estado de Pernambuco (TJPE), foi às redes sociais falar sobre o presidente da República, sem, contudo, citar diretamente o nome de Jair Bolsonaro (PSL).

O magistrado, também presidente da Associação Nacional de Desembargadores (ANDES), mencionou a possibilidade de interdição de autoridades que “não falam respeitando a liturgia do alto cargo que ocupam” ou que “falam pensadamente querendo imbecilizar os brasileiros”.

RESPOSTA
» Bartolomeu Bueno esclarece que fala sobre interdição vale para qualquer autoridade

No post da rede social, o desembargador esclarece que não está falando em impeachment, mas sim em “interdição, por falta de condições mentais para o exercício do cargo”.

LEIA TAMBÉM
» Onde está essa tal ‘perseguição’ do governo Bolsonaro?, ironiza Coelho
» Bolsonaro vai prejudicar o governo se enfraquecer Moro, diz Janaina Paschoal
» Ex-presidente da OAB em Pernambuco diz que Bolsonaro quer calar sociedade civil
» Governo Bolsonaro enviará nova PEC para incluir sistema de capitalização na Previdência

Veja abaixo a reprodução da página da rede social.

Não é a primeira vez que o magistrado critica medidas do governo Bolsonaro.

» Bolsonaro sanciona lei que desobriga pobres a terem ‘habite-se’ para tirar escritura
» Bolsonaro sugere fazer cocô em dias alternados para preservar o ambiente
» Indicação para novo PGR sairá até o dia 16, diz Bolsonaro
» Maia volta a criticar Bolsonaro: ‘produto de nossos erros’

O desembargador criticou duramente a reforma da previdência, em julho.

Veja a íntegra da manifestação do magistrado sobre a reforma proposta pelo presidente:

“A Câmara dos Deputados aprovou em primeiro turno, por larga maioria, a miséria de milhões de verdadeiros trabalhadores, que recolheram anos a fio regularmente suas contribuições para a previdência enquanto os empresários sonegavam a sua parte, e vão ficar sem suas aposentadorias legitimamente conquistadas. País injusto!”.

Resposta

Nesta terça-feira, o blog convidou o desembargador para uma entrevista sobre o momento político nacional, mas ele recusou o uso do espaço.

Em nota, Bartolomeu Bueno afirmou: “Em nenhum momento cito a pessoa ou o nome do Presidente. A assertiva por mim declinada serve para qualquer autoridade, inclusive para mim”.


FECHAR