publicidade
06/08/19
Foto: Tato Rocha/Acervo JC Imagem
Foto: Tato Rocha/Acervo JC Imagem

Carreras critica ‘posições radicais’ do PSB e deixa em aberto saída da sigla

06 / ago
Publicado por Douglas Fernandes em Notícias às 10:21

Um dos alvos de um processo disciplinar do PSB pelo voto a favor da reforma da Previdência, o deputado federal Felipe Carreras deixou em aberto a possibilidade de sair do partido mesmo que não seja punido com a expulsão do ninho socialista. Em entrevista, nesta terça-feira (6), ao programa Passando a Limpo, na Rádio Jornal, o parlamentar reforçou que manterá seu voto a favor da proposta no segundo turno da votação na Câmara dos Deputados e que não aceitará “patrulhamento” nas suas posições.

“Se o partido continuar com posições radicais, a gente vai com tranquilidade, com a cabeça fria decidir qual será o nosso futuro politico”, afirmou Felipe Carreras.

Carreras apresentou a sua defesa ao Conselho de Ética do PSB no dia 26 de julho após ter mudado sobre a medida antes rejeitada publicamente por ele. Em entrevista ao Jornal do Commercio no dia 15 de julho, o deputado chegou a dizer que não era “réu” e que não iria se defender no processo.

O recuo em relação à defesa foi visto como uma “atitude de amadurecimento” pelo líder do PSB na Câmara dos Deputados, deputado Tadeu Alencar.

Assediado publicamente por legendas como o PSDB e MDB, Carreras deixou claro ainda sua insatisfação com a forma que o PSB faz oposição ao governo Jair Bolsonaro (PSL). “O papel da oposição responsável é apontar o erro e dar sugestão”. O parlamentar disse ainda que não faz oposição à gestão de Bolsonaro que não deseja ter em relação ao governo Paulo Câmara (PSB), do qual participou como secretário de Turismo no primeiro mandato.

O deputado citou o convite rejeitado pelo partido para uma reunião com o presidente da República com a bancada nordestina para emendar que Paulo Câmara já promoveu um encontro com a oposição. E acrescentou que não vai compactuar com “decisões erradas” do PSB.

Carreras voltou a criticar as declarações do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, que afirmou que o deputado “traiu suas origens” ao divergir da posição do partido sobre a proposta. “O presidente (Carlos Siqueira) foi infeliz, indelicado, mas eu sei conviver com quem é diferente de mim”, disse.

Apesar das críticas ao partido, o parlamentar ressaltou sua ligação com o partido, único a qual se filiou e que teve seu ingresso avalizado pelo ex-governador Miguel Arraes. “Não será esse episódio que me fará me sentir um estranho no ninho”, disse.

Confira a entrevista na íntegra

PSDB e MDB abrem as porta para Carreras

O presidente nacional do PSDB, ex-ministro Bruno Araújo, conversou com o deputado e fez o convite para que ele ingresso no ninho tucano caso seja expulso.“Avisei a Carreras. Se a lei permitir, você considerar e quiser vir, o PSDB repõe o valor (do fundo partidário, cobrado pelo PSB, em retaliação ao voto a favor da previdência) e você é bem vindo ao PSDB.”, disse ao Blog.

O líder do governo Jair Bolsonaro (PSL) no Senado, senador Fernando Bezerra Coelho, também fez o gesto em relação ao MDB. “Nós colocamos tapete vermelho, banda de música, balão de festa”, afirmou, com bom humor.

O líder do PSB disse que o assédio das legendas é “sinal de que o PSB tem bons quadros”.

“Isso é sinal de que o PSB tem bons quadros, de quando, eventualmente, pode se cogitar de que esses quadros possam sair do partido, o mercado partidário fica interessado em um quadro político e de valor”, afirmou Tadeu Alencar.


FECHAR