publicidade
05/08/19
Ministro da Justiça, Sergio Moro, e o presidente do Caof, Roberto Leonel (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Ministro da Justiça, Sergio Moro, e o presidente do Caof, Roberto Leonel (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Integrantes do Judiciário pediram demissão do presidente do Coaf, diz jornal

05 / ago
Publicado por Douglas Fernandes em Notícias às 9:01

Com aval do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para a sua saída do cargo, o presidente do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), Roberto Leonel, também é pressionado por membros do Poder Judiciário. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, integrantes do Judiciário pediram ao Ministério da Economia a demissão de Leonel, que foi nomeado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e é considerado braço direito do ex-juiz da Lava Jato.

De acordo com o jornal, a equipe do ministro Paulo Guedes teria sido avisada de que, para uma ala do Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente do Coaf é visto como o “elo” entre investigadores e dados sigilosos da Receita Federal, alvo de uma decisão do ministro Alexandre de Morares que suspendeu investigações da Receita sobre colegas da Corte.

Ainda segundo a Folha, Roberto Leonel provocou a insatisfação do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e de aliados por suas manifestações contra a decisão do presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, de suspender investigações com dados compartilhados pelo Coaf, Banco Central e Receita Federal sem autorização prévia da Justiça. A decisão de Toffoli atendeu a um pedido da defesa do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). E foi defendida por Bolsonaro.

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Na manhã desse domingo (4), Bolsonaro deixou em aberto a possibilidade de mudança na presidência do Coaf. Segundo o presidente, cabe a Paulo Guedes definir o destino de Leonel após a transferência do órgão para a sua pasta.

“Eu dei carta branca a todos os ministros para, vamos assim dizer, indicar as pessoas e o poder de veto. O Coaf, na medida provisória da reestruturação estava com (o Ministério da) Justiça. A partir do momento em que vai para a Economia, é o Paulo Guedes quem define. Ou alguém está desconfiando do Paulo Guedes agora aí? Qualquer um que quiser mudar qualquer coisa, muda sem problema nenhum não. Eu quero é que o seu ministério dê certo”, disse.

De acordo com o site O Antagonista, Bolsonaro e Guedes já teriam acertado a demissão do presidente do Coaf. E o motivo propagado seria que o chefe da pasta da Economia precisaria de “gente de confiança” no comando do órgão.


FECHAR