publicidade
29/07/19
Foto: Alan Santos/Presidência da República
Foto: Alan Santos/Presidência da República

Bolsonaro: Se o presidente da OAB quiser saber como o pai dele desapareceu, eu conto

29 / jul
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 13:45

Jair Bolsonaro (PSL) atacou nesta segunda-feira (29) o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, ao afirmar que pode contar como o pai dele desapareceu durante a ditadura militar. “Se um dia o presidente da OAB quiser saber como o pai dele desapareceu no período militar, eu conto para ele”, disse a jornalistas. O vídeo em que Bolsonaro faz a declaração foi divulgado pelo G1.

“Não é minha versão, é que a minha vivência me fez chegar a essas conclusões naquele momento. O pai dele integrou a Ação Popular, o grupo mais sanguinário e violento da guerrilha de Pernambuco e veio desaparecer no Rio de Janeiro”, acusou.

Felipe é filho de Fernando Santa Cruz, que desapareceu há 45 anos. O presidente da OAB tinha 2 anos quando o pai sumiu.

LEIA TAMBÉM
» Morre, aos 105 anos, Dona Elzita Santa Cruz, símbolo contra a ditadura

Fernando nasceu em Olinda, em Pernambuco, e participou do movimento estudantil secundarista. Ele foi preso temporariamente em 1967. No Rio de Janeiro, para onde se mudou após a edição do AI-5, estudou direito e atuou no Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Faculdade Federal Fluminense. Em 1972, se mudou para São Paulo após ter sido aprovado em concurso público.

Ele desapareceu dois anos depois, em passagem pelo Rio. Fernando estava na casa do irmão Marcelo e chegou a adverti-lo, segundo a Comissão da Verdade, de que se não aparecesse teria sido preso.

De acordo com a Comissão da Verdade, o delegado aposentado do DOPS Cláudio Guerra revelou em 2012 que Fernando Santa Cruz e outros presos tiveram seus corpos incinerados no forno de uma usina em Campos, no Rio. 

À Agência Brasil, um dos irmãos de Fernando, João Artur, afirmou que ele não era ligado à luta armada, mas integrava a Ação Popular Marxista-Lenista (AP). Outro nome ligado ao grupo era o senador José Serra (PSDB-SP), por exemplo.

Adélio Bispo

A declaração de Bolsonaro foi ao questionar a OAB sobre Adélio Bispo, o autor da facada que o atingiu durante a campanha presidencial do ano passado. “Por que a OAB impediu que a Polícia Federal entrasse no telefone de um dos caríssimos advogados? Qual é a intenção da OAB? Quem é essa OAB?”, perguntou. O Estadão Verifica, do jornal O Estado de S. Paulo, apontou que é falsa a informação de que o sigilo telefônico é protegido pela Ordem dos Advogados.


FECHAR