publicidade
19/06/19
Fotos: Waldemir Barreto/Agência Senado; Geraldo Magela/Agência Senado; Antônio Augusto/Câmara dos Deputados
Fotos: Waldemir Barreto/Agência Senado; Geraldo Magela/Agência Senado; Antônio Augusto/Câmara dos Deputados

Como votaram os senadores pernambucanos no decreto de armas

19 / jun
Publicado por Douglas Fernandes em Notícias às 14:35

A aprovação, nessa terça-feira (18), do projeto que derruba o decreto de armas do presidente Jair Bolsonaro (PSL) no Senado por meio de um decreto legislativo teve o apoio de dois dos três senadores de Pernambuco. O único voto favorável foi de Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), que é líder da bancada governista na Casa.

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, e o senador Jarbas Vasconcelos (MDB), foram favoráveis ao projeto que susta o decreto. Ou seja, se posicionaram contra a ampliação do porte de armas.

LEIA TAMBÉM
» Senado aprova projeto que anula decreto de armas de Bolsonaro
» Bolsonaro pede que cobrem senadores manutenção do decreto de armas
» Bolsonaro publica novo decreto de armas e proíbe fuzis para cidadão comum
» Paulo Câmara assina carta contra decreto de armas de Bolsonaro

No total, foram 47 votos favoráveis e 28 contrários à derrubada da medida que ampliava a posse e o porte de armas. De autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da minoria, o projeto segue para a análise da Câmara dos Deputados.

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Antes da votação, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) reclamou que parlamentares contrários ao decreto estavam sendo ameaçados pelas redes sociais. Durante a sessão que apreciou o projeto, se solidarizou com os alvos das ameaças. Como presidente, o parlamentar só vota quando há empate, mas o demista declarou ser contrário ao decreto nas redes sociais.

» Procuradoria diz que decreto de armas põe em risco segurança de toda a sociedade
» João Campos e Tabata Amaral querem derrubar decreto de armas de Bolsonaro
» Bolsonaro não esperou análise de Moro para decreto de armas
» Câmara e Senado indicam excesso em decreto das armas de Bolsonaro

No Twitter, Bolsonaro fez uma defesa do decreto e chegou a pedir que a população cobrasse os senadores para que a medida não fosse derrubada. A mensagem, contudo, não foi bem vista por alguns parlamentares e as ameaças sofridas pelos que rejeitavam o ato do Executivo reforçaram a insatisfação. Agora, aliados do presidente apostam no apoio da bancada do agronegócio e da segurança pública na Câmara para conseguir reverter o resultado do Senado.


FECHAR