publicidade
15/06/19
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

‘Publiquem tudo se quiserem’, diz Moro sobre conversas vazadas

15 / jun
Publicado por Douglas Fernandes em Notícias às 14:31

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, repercutiu, na noite dessa sexta-feira (14), no Twitter uma entrevista concedida ao jornal Estado de São Paulo. O ex-juiz da Lava Jato se refere ao site The Intercept Brasil, responsável por divulgar as conversas entre ele e membros da Força Tarefa da Lava Jato do Ministério Público Federal em Curitiba, como “aliado a hackers criminosos”. “Agi dentro da legalidade”, publicou o ministro na rede social. A entrevista foi dada antes de mais uma matéria do site com diálogos entre Moro e o ex-procurador da operação Carlos Fernando Santos Lima.

Na entrevista ao Estadão, Sergio Moro disse haver um “viés político-partidário” nas divulgações das conversas entre ele e o coordenador da força-tarefa da Lava Jato, procurador Deltan Dallagnol, e, segundo o ministro, também há por trás delas uma tentativa de soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Quando questionado pelo jornal sobre se há riscos de anulação da condenação de Lula no caso do tríplex, o ex-juiz disse que há “muito sensacionalismo e falta uma análise mais cautelosa” sobre o que vazou. “Se formos analisar o que saiu não vi nada demais”, disse. Mas ressaltou que esse “sensacionalismo” apontado por ele mais do que o conteúdo das mensagens pode “afetar a credibilidade das operações”.

O ministro também negou que tenha havido conluio com os procuradores da Lava Jato e afirmou ter rejeitado muitas prisões preventivas pedidas pelo MPF. O ex-juiz acrescentou ser da “dinâmica” dos processos a troca de mensagens por aplicativos entre as partes.

“Não tem nada, nunca houve esse tipo de conluio. Tanto assim, que muitas diligências requeridas pelo Ministério Público foram indeferidas, várias prisões preventivas. O pessoal tem aquela impressão de que o juiz Moro era muito rigoroso, mas muitas prisões preventivas foram indeferidas, várias absolvições foram proferidas. Não existe conluio. Agora, a dinâmica de um caso dessa dimensão leva a esse debate mais dinâmico, que às vezes pode envolver essa troca de conversas pessoais ou por aplicativos. Mas é só uma forma de acelerar o que vai ser decidido no processo”, disse ao jornal.


FECHAR