publicidade
12/06/19
Foto: Mariana Carvalho/Divulgação
Foto: Mariana Carvalho/Divulgação

PSB mira a eleição de 2020 com ‘jogo duplo’ sobre reforma, diz Priscila

12 / jun
Publicado por Douglas Fernandes em Notícias às 9:31

Com a expectativa sobre a manutenção ou não dos estados e municípios na reforma da Previdência, a deputada estadual Priscila Krause (DEM) para cobrar uma articulação do governador Paulo Câmara (PSB) com a bancada federal pela aprovação da proposta. Em discurso, nessa terça-feira (11), na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado (Alepe), a parlamentar apontou “incoerência” do socialista e disse que o governador “titubeia” entre críticas à reforma e uma defesa “envergonhada” de manter os estados e municípios no projeto.

Para a deputada, o PSB de Pernambuco faz “jogo duplo” sobre a reforma porque “enxerga apenas a eleição de 2020”. “Uma incoerência que a história cobrará”, disse.

A demista citou dados do estudo sobre os indicadores das previdências estaduais, publicado pelo Instituto Fiscal Independente (IFI) do Senado, para projetar que a situação pode se tornar “ingovernável” caso as mudanças no sistema previdenciário não atinjam os estados. O estudo coloca Pernambuco como o sétimo estado com pior situação quanto à sustentabilidade do seu regime previdenciário próprio.

Na avaliação da parlamentar,  “ainda há tempo” para o governador assumir a responsabilidade e liderar a articulação pela aprovação da reforma com a bancada pernambucana. “Enquanto titubeia entre críticas à Reforma e uma assinatura envergonhada da carta dos governadores a favor da manutenção dos estados e municípios na proposta, o governador se depara diariamente com uma dinâmica fiscal que logo mais será ingovernável”, afirmou.

Paulo Câmara e Bolsonaro (Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem)

Caso o Congresso retire estados e municípios da proposta, Priscila Krause defende que Paulo Câmara “deve se antecipar na elaboração da reforma estadual” e que a Alepe entre logo no tema. Na avaliação dela, a eventual proposta precisa ser “o mais próximo possível da sua versão nacional”.

Para ilustrar a situação de iminente colapso fiscal, Priscila afirmou que só nos primeiros quatro meses do ano Pernambuco já gastou R$ 170 milhões a mais que no mesmo período de 2018 com o pagamento de aposentados e pensionistas e que, só na Polícia Militar, o número de servidores que deixaram a ativa cresceu 66% até maio, também em comparação com o ano passado: foram concedidas aposentadorias para 423 servidores contra 255 nos cinco primeiros meses do ano passado.

“Tenho convicção, misturada à esperança, que nem o Palácio das Princesas nem esta Assembleia Legislativa irão se furtar à responsabilidade que pertence a cada um de nós, integrantes transitórios do poder público, perante o destino que queremos para o nosso estado”, disse.


FECHAR