publicidade
29/05/19
Senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Flávio Bolsonaro tenta impedir quebra de sigilo no caso Queiroz

29 / maio
Publicado por Douglas Fernandes em Notícias às 10:07

A defesa do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) entrou com um pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro para impedir a quebra dos sigilos bancário e fiscal do parlamentar no caso das movimentações financeiras atípicas no seu gabinete quando era deputado estadual. A notícia foi publicada pelo jornal Folha de São Paulo.

Segundo a matéria, o pedido, apresentado na semana passada e que está sob segredo de justiça, tem argumentos semelhantes aos da defesa do ex-assessor do senador Fabrício Queiroz, que também teve os sigilos quebrados. É a terceira vez que os advogados de Flávio entram com um pedido contra as investigações. Em janeiro, o parlamentar já havia entrado com um recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender a investigação

LEIA TAMBÉM
» Justiça determina acesso a notas fiscais de Flávio Bolsonaro
» ‘E se, quando sair Moro, for Flávio Bolsonaro?’, questiona Coutinho sobre Coaf
» MP diz que Flávio Bolsonaro ‘direciona esforços para interromper investigações’
» ‘Meu erro talvez tenha sido confiar no Queiroz’, diz Flávio Bolsonaro
» Flávio Bolsonaro diz que investigação contra ele ‘tem de ser arquivada

A quebra dos sigilos bancário e fiscal do filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi determinada pelo juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, a pedido do Ministério Público. Outras 84 pessoas e nove empresas foram atingidas pela decisão.

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro Fabrício Queiroz também teve sigilo quebrado (Foto: Reprodução/SBT)

De acordo com o Ministério Público do Rio, existem indícios robustos dos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa no gabinete de Flávio Bolsoanro de 2007 a 2018, período em que Queiroz trabalhou com o então deputado estadual como uma espécie de chefe de gabinete.


FECHAR