publicidade
21/05/19
Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República
Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República

Clube Militar convoca sócios para atos pró-Bolsonaro

21 / maio
Publicado por Douglas Fernandes em Notícias às 11:37

Estadão Conteúdo – O Clube Militar, entidade que reúne oficiais do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, convocou seus sócios para participarem das manifestações a serem promovidas no próximo domingo (26) em defesa do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e das reformas propostas por seu governo.

Em texto postado no site da entidade na noite dessa segunda-feira (20), o Clube afirma que “tradicionalmente preocupado com os assuntos atinentes ao desenvolvimento da nação brasileira”, a entidade “vem convocar seu quadro social e convidados a participarem das manifestações a serem levadas a efeito em todo o território nacional, apoiando o governo federal na implementação das reformas necessárias à governabilidade. Participe em sua cidade!”, conclui o texto, que tem como título a frase “Brasil acima de tudo”, parte do slogan de campanha de Bolsonaro.

LEIA TAMBÉM
» ‘Não vejo sentido em manifestação de domingo, mas é válida’, diz Bivar
» MBL Recife reclama de ataques por não participar de ato pró-Bolsonaro
» MBL adota postura equilibrada e se recusa a tentar solapar Congresso e STF

Embora o texto só ofereça informações sobre o protesto previsto para o Rio de Janeiro, cuja concentração deve ocorrer em Copacabana, a partir das 10h, a convocação é para que os sócios que morem em outras cidades também participem das manifestações

Fundado em 1987 e sediado no Rio de Janeiro, o Clube Militar tem em todo o Brasil cerca de 38 mil sócios, entre oficiais da ativa, da reserva de primeira classe e reformados das forças armadas, além de aspirantes a oficial do Exército e da Aeronáutica e guardas-marinhas.

Capitão reformado do Exército, Bolsonaro se elegeu com apoio dos militares e levou ao governo vários integrantes da classe. A ala ‘ideológica’ liderada por Olavo de Carvalho, no entanto, faz intensas críticas aos militares.


FECHAR