publicidade
25/04/19
Foto: Carlos Lima/Câmara do Recife
Foto: Carlos Lima/Câmara do Recife

Após mirar em João Campos, oposição volta a bater em Geraldo Julio

25 / abr
Publicado por Douglas Fernandes em Notícias às 9:22

Na Câmara do Recife, a oposição ao prefeito Geraldo Julio (PSB) voltou a centrar as suas críticas à gestão do socialista. Depois de terem antecipado o embate com o deputado federal João Campos (PSB), filho do ex-governador Eduardo Campos e cotado para disputar a prefeitura da capital, os oposicionistas usaram a educação para bater na gestão de Geraldo Julio.

Em discurso na tribuna da Casa José Mariano, o líder da oposição, o vereador Renato Antunes (PSC), afirmou que a rede de ensino municipal não cumpre a carga horária mínima de 200 dias nas escolas, prevista na legislação federal. Segundo o parlamentar, enquanto os professores deixam a sala de aula para produzirem atividades pedagógicas para as suas turmas, mais da metade dos alunos voltam para a casa porque, ainda de acordo com ele, não há professores substitutos. Antunes afirma que isso ocorre em pelo menos um dia da semana. 

LEIA TAMBÉM
» Oposição vai para cima de João Campos e ironiza: ‘canetada dourada’
» Aliado de Paulo Câmara defende João Campos para a PCR em 2020
» Para opositor, é ‘soberbo’ socialista dizer que ‘escuta nome de João Campos nas ruas’
» Vereador diz que escolas no Recife funcionam em esquema de ‘rodízio’

“As escolas funcionam com rodízio do dia em que os alunos ficam sem aulas. Ou seja, são dados apenas 4 dias de aulas por semana. A lei federal 18.036/2014 determina o cumprimento de aulas atividade. Resumindo, não se chegará aos 200 dias, que a jurisprudência determina”, afirmou o vereador.

A fala do líder da oposição ocorreu após visitas realizadas por ele em algumas unidades de ensino da cidade, como a Escola Municipal Fernando Santa Cruz. A ação faz parte da estratégia dos oposicionistas de promover uma blitz para fiscalizar o Executivo municipal a exemplo do que ocorre com a bancada de oposição na Assembleia Legislativa do Estado (Alepe).

Segundo Antunes, os gestores das escolas estão tendo que ir para as salas de aula para cobrir o horário em que os professores se dedicam a preparar as atividades pedagógicas.

“É lamentável ver uma situação como essa, onde temos a base da educação sendo comprometida. Professores sobrecarregados, gestores escolares que precisam se desdobrar para tentar evitar problemas maiores, crianças sendo penalizadas e a gestão municipal inerte a tudo isso. A gente precisa parar de afirmar que está tudo bem com a educação, e assumir que do jeito que está caminhando, o futuro dessas crianças está totalmente comprometido. Vamos seguir com a blitz da oposição em diversas áreas do Recife, mas acho que precisamos de uma resposta da prefeitura”, disse Antunes.


FECHAR