publicidade
28/03/19
Fotos: Hélia Scheppa/Divulgação
Fotos: Hélia Scheppa/Divulgação

Ministério de Moro vai mandar cerca de 100 militares da Força Nacional para Paulista

28 / mar
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 15:02

Paulista, na Região Metropolitana do Recife, foi o município escolhido no Nordeste para receber o projeto piloto do Programa Nacional de Enfrentamento à Criminalidade Violenta, que será lançado em maio pelo governo Jair Bolsonaro (PSL). De acordo com o Palácio do Campo das Princesas, foi anunciado que a previsão é de que sejam enviados cerca de 100 militares da Força Nacional.

O secretário nacional de Segurança Pública, general Guilherme Teófilo, esteve nesta quinta-feira (28) no Recife para falar ao governador Paulo Câmara (PSB) e auxiliares sobre a proposta na reunião do Pacto pela Vida, da gestão estadual.

LEIA TAMBÉM
» Secretário nacional de Segurança Pública conhece Pacto pela Vida e promete ações federais para Paulista
» Prefeito de Paulista diz que repressão apenas não resolve problemas da violência

Além dos militares, Paulista receberá viaturas, equipamento e ações na área de inteligência na primeira etapa do projeto, que terá como foco a repressão aos crimes. 

Haverá também ações nas áreas de cidadania, desenvolvimento ministerial, direitos humanos, economia, justiça e segurança pública, educação e saúde, trabalhando questões como a geração de empregos. O governo estadual afirmou que Paulista receberá um comitê interministerial.

A previsão, segundo o Governo de Pernambuco, é de que o programa seja lançado oficialmente no dia 28 de maio e que as atividades comecem em 1º de julho.

Com o projeto-piloto, de acordo com a gestão estadual, serão criados protocolos de segurança pública que serão requisitos obrigatórios para a liberação de recursos do Fundo Nacional de Segurança a Estados e municípios.

Um dos critérios para a escolha de Paulista foi político. “Nós fizemos o levantamento das taxas e levamos em consideração não só as de homicídios, mas o alinhamento político do Governo do Estado com os municípios, além do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Tudo isso foi considerado para escolhermos cinco municípios, um em cada região do país, para customizar as soluções”, disse em entrevista coletiva.

 


FECHAR