publicidade
13/02/19
Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado
Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Moro tenta barrar nomeação de FBC como líder do governo Bolsonaro, diz revista

13 / fev
Publicado por Douglas Fernandes em Notícias às 14:04

Cotado para ser líder do governo Jair Bolsonaro (PSL) no Senado, o senador pernambucano Fernando Bezerra Coelho (MDB) conta com um adversário importante na Esplanada dos Ministérios: nada menos do que o ministro da Justiça, Sérgio Moro. É o que publicou, nesta quarta-feira (13), a coluna do jornalista Guilherme Amado, da Revista Época.

O ex-juiz da Lava Jato tenta convencer, segundo a publicação, o Palácio do Planalto a não nomear o senador para a liderança do governo na Casa Alta. FBC possui, contudo, o apoio do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM), e do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM). Havia a expectativa de que fosse realizada uma reunião entre Bezerra Coelho e Lorenzoni nessa segunda-feira (11), o que não ocorreu. Com a alta de Bolsonaro nesta quarta (13), a definição do posto de líder pode ocorrer nesta semana.

‘Ruim para FBC e para o governo Bolsonaro’, diz Humberto

Líder do PT no Senado, o senador Humberto Costa deu sua visão, em entrevista ao Programa Passando a Limpo, na Rádio Jornal, sobre a possibilidade do também senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) se tornar líder do governo Jair Bolsonaro (PSL) no Senado. FBC já sinalizou que aceitaria o convite que poderá ser feito em reunião na próxima segunda-feira (11) com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM). Para Humberto, aceitar o posto seria “uma coisa ruim” para o companheiro de Senado e até mesmo para o governo Bolsonaro.

O parlamentar petista citou a disputa pela presidência do Senado, em que FBC ficou alinhado à candidatura do senador Renan Calheiros (MDB), para dizer que estranhou que o nome do Fernando Bezerra ser ventilado para a assumir a liderança do governo na Casa Alta. Apoiado por Onyx Lorenzoni, Davi Alcolumbre acabou vencendo a disputa recheada de controvérsia e embates no plenário. O próprio presidente do Senado participa da articulação entre o governo e FBC.

“Eu fiquei até estranhando de isso ter sido ventilado. A forma como o governo vem se colocando, como vem se colocando sobre o MDB, eu acho isso estranho. Eu acho que se ele aceitar essa proposta vai ser ruim pra ele e ruim para o próprio governo. Mas se isso vier a acontecer, paciência, isso acontece na politica. Se acontecer, que seja até bom para Pernambuco”, afirmou o petista.


FECHAR